Editorial
 

 

Dezembro é sempre muito especial O tempo natalício marca decisivamente este mês.

A exigência legal do fim de ano no poder local, com a sessão obrigatória das Assembleias de Freguesia e Municipal a debater e votar o orçamento e o plano de atividades para o ano subsequente; a pausa escolar associada ao Natal com as festividades nos estabelecimentos de ensino; as Associações dinamizam igualmente as tradicionais "Ceias de Natal"; e ainda os feriados religiosos e nacional, preenchem o quadro de “ocupações“ de toda uma comunidade, dedicando ainda o tempo direcionado para a passagem de ano que, na nossa cidade e ainda ligado ao período natalício, assume um contorno de forte pendor de participação comunitária.

A Cidade Natal, o programa televisivo em direto, o Madeiro, a distribuição de cabazes de Natal, os parques centrais bem decorados com luz, cor e inovação, os concertos de final de ano com a Praça Luís de Camões a abarrotar…

As pessoas saíram à rua, reencontraram-se amigos e familiares, verificou-se uma boa “invasão” de cidadãos espanhóis e de outras nacionalidades, comércio e restauração terão beneficiado um pouco mais e principalmente as crianças, muitos jovens e também os mais velhos encontraram bons motivos, e melhores pretextos para o sorriso, para a boa convivência; e as conversas detinham-se também na “boa estrela” que nos brindou com boa meteorologia!

A Freguesia cooperou com a maior parte destas iniciativas, tivemos a Ceia de Natal com os funcionários e colaboradores de alguns dos projetos que desenvolvemos e, particularmente fruto da generosidade do Sr. Jean Pina, pudemos valorizar os mais de 70 cabazes de Natal que disponibilizamos a famílias carenciadas, ressalvando aqui o trabalho de cooperação com outras instituições.

O décimo segundo mês, como é visível pela extensão desta nota inicial, é exigente; tem bons motivos para a diversão mas também para a melhor reflexão pessoal e coletiva, sempre recheada com os valores subjacentes ao nascimento de um menino muito especial na história da humanidade e também ao ritual da passagem para a primeira folha do calendário, que indica um novo ano e o seu primeiro mês.

Tentemos cada um e enquanto comunidade robustecer melhor a cor de cada um dos próximos 365 dias do ano 2019.

Bem-hajam por nos acompanharem e pelos contributos recebidos e um voto pela Paz e pela exigência que queiramos e saibamos colocar em cada uma das nossas palavras e ações no respeito de cada um perante o(s) outro(s).














































Assembleia de Freguesia

 

A sessão ordinária da Assembleia de Freguesia da Guarda decorreu no dia 28 de dezembro e contou com a presença de todos os deputados eleitos, registando-se a tomada de posse de uma nova deputada na bancada do PPD/PSD por renúncia ao mandato de uma outra deputada. Os trabalhos prolongaram-se até depois da meia-noite, terminando a brindar ao ano novo e a aniversariantes!

Registamos desta importante sessão ordinária a votação unânime de dois votos de reconhecimento a dois cidadãos com ligação à Guarda: um de pesar pelo desaparecimento do prof. Segura Fernandes, pessoa muito estimada na comunidade pelo desempenho e entrega à causa associativa, ao desporto e à educação; outro de agradecimento à solidariedade prestada pelo Sr. Jean Pina à loja social da Freguesia, “Mão Amiga”, tendo este ano disponibilizado três dezenas de cabazes, vestuário a estrear e ainda brinquedos e jogos.

Outros temas pontuaram o decurso da sessão mas, o que consideramos ressalvar foi o debate e aprovação do orçamento para o ano de 2019 que mereceu o voto favorável do grupo parlamentar do PSD e a abstenção dos grupos parlamentares do CDS e do PS.

O valor estimado é de 482.924,74€, sendo 397.615,00€ para despesas correntes e 85.309,74€ para despesas de investimento. Salientamos a obra correspondente à II fase de alargamento do cemitério da Guarda-Gare; a segunda edição do Orçamento Participativo; e, o reforço da presença na área da educação. O principal agregado da despesa compreende as obrigações com os funcionários, contribuições e impostos e ainda o funcionamento da própria Freguesia.

A principal receita é transferida do orçamento do estado e cifra-se no valor de 293.383,00€. Acresce ainda a receita do Município da Guarda num total de 24.524,74€.














































Notícias/Eventos

 

No período natalício a Freguesia da Guarda para além de cooperar e colaborar com as iniciativas da Câmara Municipal e outras entidades tem também as suas iniciativas de cariz social.

Decoramos os nossos edifícios, procedemos à recolha de alimentos e em concertação com as outras entidades promovemos a oferta de cabazes de Natal às famílias carenciadas. Trata-se de um trabalho que obriga a um maior esforço e disponibilidade de todos os colaboradores da Freguesia.

Este ano, e pela primeira vez, fomos brindados pela atenção da GNR/Destacamento da Guarda que fez questão de oferecer à “Mão Amiga”, e também a outras instituições de cariz social, peças de roupa contrafeita, alguma já incluída nos cabazes de Natal disponibilizados pela Freguesia.

Ficamos muito reconhecidos à GNR pela generosidade demonstrada e podemos garantir que daremos bom encaminhamento ao vestuário recebido.

Outra importante manifestação de apreço e consideração a que nos vem habituando é a atenção do Sr. Jean Pina com a nossa Loja Social.

Também neste Natal fez questão de reforçar a sua colaboração e após um trabalho de sensibilização junto de outros colegas reuniu géneros alimentícios peças de vestuário e brinquedos, que muito contribuíram para uma qualificação das ofertas que pudemos dar no presente ano; restando ainda produtos, que vão ser incluídos nos cabazes alimentares a entregar ao longo do ano de 2019.

A Junta de Freguesia tem aqui uma palavra de reconhecido e penhorado Bem-Haja à GNR, ao Sr. Jean Pina e a todos aqueles que anonimamente se dirigem à Freguesia, deixando o seu contributo na Loja Social “Mão Amiga”.

























Trabalhos

 

Em dezembro a preparação do tempo natalício, com a decoração dos edifícios da Freguesia, o transporte de alimentos e brinquedos para a Junta organizar os cabazes de Natal e para outras entidades o fazerem, preencheram novamente alguns dias de trabalho dos funcionários afetos ao serviço externo.

No entanto, a preocupação com a limpeza urbana - apanhar folhas caídas, cortar ervas, podar ramos maiores, varrer -, manteve-se, nomeadamente na Tapada do Coelho e em locais do perímetro da cidade: Sequeira, Alfarazes, Galegos, Carapito, Quintãzinha do Mouratão e Monte Barro.

Não se descuraram os cemitérios, bem como os espaços escolares.

E, apesar de atualmente a Freguesia apenas contar com oito colaboradores e tendo em conta as “tolerâncias de ponto” e feriados próprios da época, procurámos realizar os trabalhos habituais (como a recolha de monos à segunda), bem como corresponder a múltiplas solicitações apresentadas e/ou constatadas.