Editorial


Outubro começou com o dia das eleições autárquicas para o quadriénio 2017/2021.

Ao acto eleitoral seguiu-se o tempo da transição e foi aproveitado para uma jornada de convívio e despedida dos eleitos que terminaram as suas funções.

Depois foi a instalação dos órgãos da freguesia com os novos eleitos, que por sua vez votaram e elegeram os membros da Junta e da Mesa da Assembleia de Freguesia, numa sessão pública, razoavelmente participada pela população. Seguramente um momento a não esquecer para os que mereceram a confiança dos eleitores.

Neste mês reiniciaram-se ainda as atividades de apoio didático-pedagógico nos JI; o projeto “Estou atento, aprendo melhor”, nas turmas do 1º e 2º ano de escolaridade; e, as aulas de ginástica, com cerca de 80 seniores, duas vezes por semana.

Também o décimo mês do ano de 2017 trouxe para a freguesia da Guarda um prémio de boas práticas pela execução do projeto candidatado ao programa Erasmus+, o qual muito deve orgulhar quem realizou a sua conceção, quem o organizou e quem nele participou. Dir-se-ia também que serve de um bom testemunho de agradecimento e incentivo dos eleitos e funcionários da freguesia.

Mas este mês de outubro fica gravado na memória dos portugueses pela devastação da mancha florestal, da economia e a perda de muitas vidas. Poucas palavras para que a ação de reparação possa ser a que mais prevaleça…

Um mês bem repleto, como pode ser verificado por este e outros acontecimentos. Assim é a dinâmica da vida das pessoas e das organizações…























1ª Assembleia e Reunião da Junta da Freguesia - Mandato 2017/21


A instalação dos órgãos autárquicos é sempre um momento vivido com intensidade pois representa o fim do tempo eleitoral e também o início do exercício do mandato, pelo qual houve empenho, ideias, campanha e agora o tempo das realizações.

Alargámos, como aliás em 2013, à participação da população a sessão de instalação dos 2 órgãos de freguesia e no dia 20 de outubro podemos testemunhar uma boa adesão da população, dos amigos e familiares dos eleitos e ainda representantes das ntidades oficiais e associativas, sedeadas na freguesia.

Resumidamente a sessão repartiu-se por três momentos essenciais: o juramento dos autarcas empossados, as votações para os vogais da Junta de Freguesia e para a Mesa de Assembleia de Freguesia e, por fim, as intervenções dos três eleitos, candidatos à presidência da Junta e ainda do Presidente da Assembleia de Freguesia.

No dia seguinte, 21 de outubro, teve lugar a 1ª reunião da Junta.


























Trabalhos


Como usualmente o mês de outubro é ocupado com a execução dos trabalhos exigidos pelos 7 cemitérios sob a responsabilidade da Freguesia da Guarda. Tratou-se essencialmente de trabalhos de limpeza e pintura.

O exterior do cemitério da Estação exigiu um trabalho suplementar, visto as obras de alargamento, a iniciar ainda no corrente ano, exigirem grande movimentação de terras, para elevar o terreno que será objecto da obra.

Mas, não se descuraram os trabalhos usuais: segunda recolha de monos; corte de vegetação intrusiva e de relva; rega desta e de árvores quando necessário; entre outras limpezas urbanas.

Respondeu-se ainda a diversas solicitações, colaborando com: a 8ª Caminhada do Movimento Vencer e Viver da Liga Portuguesa Contra o Cancro; a Associação de Surdos da Guarda - Despertar do Silêncio; o Agrupamento de Escolas da Sé e a Cáritas Diocesana da Guarda, no apoio a vítimas dos incêndios.

E, iniciaram-se algumas reparações na zona de lazer da Quintazinha: retificar fissuras nas paredes, pintar, arranjar os equipamentos e podar as árvores.





















 Notícias/Eventos


Com a maior satisfação participamos na inauguração da obra correspondente ao Parque Infantil do NASCER no passado dia 23 de outubro.

Trata-se de uma obra que resultou de uma candidatura efectuada pela Cáritas Diocesana da Guarda junto do Clube Escape Livre, que dinamizou, junto com a empresa “Transportes Bernardo Marques”, um concurso de solidariedade, assim podemos designar.

É, pois, uma iniciativa toda ela desenvolvida na sociedade em que as empresas contribuem para um fundo e as entidades associativas apresentam-se com projectos para beneficiar de apoio financeiro.

Em 2017 coube à Cáritas levar de vencida e arrecadou uma boa alavanca para iniciar e concluir a obra do parque infantil, anexo à residência onde jovens mães encontram protecção para os seus filhos.

Parabenizamos todos os envolvidos e o nosso maior agradecimento pelo desempenho das instituições que referenciámos.