MEE

Copacabana Palace. Av. Atlântica, 1.702, Copacabana. Tel. 2548-7070. Dom. a qua., 19h/0h; qui. a sáb., 19h/1h. belmond.com

FRESCOR. Vieira com coral e membrana. Servida inteira, chega viva ao restaurante

Combinando o mais exclusivo sushi bar da cidade com um menu que passeia por vários países orientais além do Japão, tais como China, Tailândia, Vietnã, Camboja e Malásia, o Mee, no Copacabana Palace, é mesmo o mais pan-asiático dos restaurantes do Rio de Janeiro. No balcão de poucos lugares, Kazuo Harada comanda um espetáculo culinário artesanal e personalizado, preparando uma sequência linda de pratos que primam pela delicadeza e pelo frescor. “O bom de trabalhar para um hotel desse porte é que conseguimos os ingredientes que quisermos, e os mais frescos, porque temos uma boa estrutura”, conta o chef, que trabalha com alguns ingredientes vivos, caso de vieiras, ouriços e caracóis marinhos, por exemplo. Uma das melhores maneiras de explorar essa matéria-prima de qualidade bem trabalhada por um cozinheiro talentoso é com o menu “omakase itamae”, uma degustação em diversas etapas, servida apenas no balcão. Nesses menus brilha também a outra face do Mee, a cozinha pan-asiática que marca os pratos quentes do restaurante, uma miscelânea de diversos países do continente, sob a supervisão do sino-americano Ken Hom, o famoso chef que supervisiona a cozinha e que vem ao Brasil duas ou três vezes por ano. Nessa parte do menu, criado com sua participação, encontramos pratos como o pato crocante com panquecas, típico da China; a merluza-negra, em teriyaki, tradicional do Japão; o pad thai; e pratos como porco à moda vietnamita, o salmão no vapor à moda cantonesa e criações dos chefs.

ROBERTA SUDBRACK

Av. Lineu de Paula Machado, 916, Jardim Botânico. Tel. 3874-0139. Ter. a qui., 19h30/23h; sex., 12h/15h e 20h30/0h; sáb., 20h30/0h. robertasudbrack.com.br

CRIATIVIDADE. Tortellini de batata-doce com pão queimado e taioba. O cardápio tem por base matéria-prima e tradições culinárias brasileiras

A cada ano Roberta Sudbrack abraça uma causa, e a cozinha de seu restaurante no Jardim Botânico se transforma em um laboratório fervilhante de ideias. Ingredientes pouco valorizados, e muitos até completamente desconhecidos, são esmiuçados pela equipe, em incontáveis formas de preparo e apresentação. Uma das cozinheiras mais inquietas do país, ela lança anualmente as chamadas “coleções”, uma espécie de manifesto gastronômico, em que expõe conceitos e alimentos, moldando assim a linha de raciocínio que vai pautar o cardápio nos próximos meses, cada vez mais enraizado na matéria-prima e nas tradições culinárias brasileiras. “Fomos os primeiros no Brasil, quando não se pensava nisso, a perceber que não havia uma maneira mais sensata de respeitar a natureza e a nossa própria cozinha, senão mudando o menu todos os dias para que ele acompanhasse o ritmo das estações. Fomos o primeiro restaurante do Brasil que só servia menu-degustação”, lembra a chef, que anuncia: “O RS passará por algumas mudanças, são 12 anos, as coisas precisam se movimentar”. Inquieta por natureza, Sudbrack gosta de associar sua comida à alfaiataria, sob medida para os que gostam de fugir do trivial. Nesta nova coleção, que aposta em aspectos rudimentares da cozinha – o fogo de carvão, os longos cozimentos –, ela pode servir pratos como tempurá de ramas de cenoura, raiz de taioba com ervas queimadas, carpaccio de carne com queijo artesanal de Pernambuco e a desconhecida monguba, castanha deliciosa que lembra coco, palmito e macadâmia, fruto de uma árvore nativa encontrada na cidade, muitas no entorno do restaurante, no Jardim Botânico, onde foi colhida.

POBRE JUAN

Shopping Village Mall, terraço, Av. das Américas, 3.900, Barra da Tijuca. Tel. 3252-2637. Seg. a qui.,12h/23h; sex. e sáb.,12h/0h; dom.,12h/22h. pobrejuan.com.br

MACIEZ. Bife ancho, um dos cortes mais pedidos. T-bone, prime rib e asado de tira também fazem sucesso

As carnes que encontramos nas grelhas do Pobre Juan, inspiradas na tradição platense, são quase todas de origem uruguaia, e o trabalho de seleção começa nos pastos dos pampas. Os melhores lotes, de raças britânicas como angus e hereford, são identificados e separados, e então inicia-se o processo de confinamento e engorda, 100% rastreado. Antes de ir ao fogo, a carne matura por cerca de 21 dias, quando vemos o resultado de todo o cuidado no processo: um padrão de qualidade muito difícil de encontrar. O chamado bife pobre juan está entre os mais pedidos: mesmo sem ser muito gordo, é das partes mais macias e saborosas, corte nobre da parte superior do bife ancho, outro campeão de pedidos. “Mas, entre os clientes mais apaixonados pela carne, os que fazem mais sucesso são peças com osso, como T-bone, prime rib e asado de tira”, conta Luiz Marsaioli, um dos sócios da rede de origem paulistana, com filiais na Barra e em São Conrado. Completando o caráter uruguaio do lugar, há empanadas para começar, morcillas, croquetas de jamón e uma seleção de guarnições entre clássicos de parrilas, como vegetais na brasa e “papas fritas”, tipo suflê, um belo chimichurri, além de criações da chef Priscila Deus, como a surpreendente farofa de pistache. Para encerrar, preparações quase pornográficas, como as que levam doce de leite, em forma de flan, crème brûlée, panqueca ou na taça, para lambuzar os churros...

FOGO DE CHÃO

Av. Repórter Nestor Moreira, s/no, Botafogo. Tel. 2542-1545. Diariamente, 12h/0h; dom. e feriados, até 22h30. fogodechao.com.br

SUCULENTA. Costela de boi, assada lentamente no fogo de chão. As de cordeiro são assadas de duas em duas, o que garante a maciez

Uma das mais tradicionais e certamente a mais conhecida e internacional das redes de churrascarias do Brasil, a Fogo de Chão aposta numa fórmula diferente da concorrência. Nada de peixe, balcão de sushis e réchauds enfileirados cheios de pratos quentes. O foco ali é a carne, o churrasco em sua essência, e os acompanhamentos mais básicos, desde o enxuto bufê de saladas, que tem o mérito de apostar na qualidade da matéria-prima, mais que na diversidade e quantidade, e aquelas guarnições convencionais de um bom churrasco, cebolas empanadas, batatas fritas, farofas e o arroz de carreteiro. Um clássico da casa, o shoulder steak é um corte dianteiro do boi, que começou a fazer sucesso depois de ser apresentado aos cariocas pela própria rede, quando inauguraram aqui sua primeira filial, em 2011, em Botafogo, com vista escancarada para a Baía de Guanabara e o Pão de Açúcar (hoje há outra filial carioca, no CasaShopping, na Barra). Outras estrelas do menu são as costelas: tanto a bovina, que assa lentamente no fogo de chão, que é marca da casa, logo na entrada, quanto as de porco, sempre suculentas, e as de cordeiro, assadas de duas em duas, como manda a regra, garantindo também maior suculência e maciez. Não poderiam faltar peças típicas das churrascarias brasileiras, como a fraldinha, a alcatra com maminha e a picanha, além de alguns cortes de matriz argentina e uruguaia, como o bife ancho. Um rodízio exclusivo para carnívoros convictos.

APRAZÍVEL

Rua Aprazível, 62, Santa Teresa. Tel. 2508-9174. Ter. a sáb. (e feriados), 12h/23h; dom., 12h/18h. aprazivel.com.br

COMPLETO. A carta de vinhos naturais é uma das melhores do país. Citado em várias categorias, o restaurante venceu também em Melhor Vista

O Aprazível é um restaurante brasileiro que transita pelas diversas regiões do país. Mas não é só isso. Pelo conjunto da obra, é dos restaurantes mais completos da cidade, não à toa foi vencedor em duas categorias: Melhor Carta de Vinhos e Vista. Além disso, recebeu votos em diversas outras, como Melhor Brasileiro e Para Namorar. Num ambiente charmoso, com várias áreas diferentes, decoração rústica com muita madeira e palha, incluindo mesas privativas com vistas lindas para o centro e a Baía de Guanabara, é um desses lugares aonde todos os visitantes, e também os cariocas, deveriam ir, ao menos uma vez (difícil não querer voltar). É como se fosse, além de um restaurante, um ponto turístico. Se houvesse um quesito “bebidas”, seria imbatível. Enquanto alguns endereços apostam nas cervejas ou nos vinhos, nos drinques ou nas cachaças, o Aprazível faz um trabalho excelente em todas essas categorias. Tem ótimas cervejas exclusivas, com rótulo próprio, uma carta de drinques extremamente bem cuidada e uma ampla e criteriosa seleção de cachaças, incluindo uma raridade produzida pela família da chef e proprietária, Ana Castilho, em Minas Gerais. Ela trabalha ao lado dos filhos, Pedro Hermeto e João Hermeto, que deram novo fôlego à casa de Santa Teresa nos últimos anos. O primeiro a aderir ao negócio foi Pedro, que há anos se dedica ao estudo dos vinhos naturais e montou uma das melhores cartas do país nessa especialidade, incluindo aí algumas garrafas de seu pequeno projeto de enologia, Era dos Ventos, com pequenos lotes produzidos na Serra Gaúcha. João chegou há cerca de três anos e apostou na torrefação de café e no trabalho de curadoria e distribuição de produtos da Amazônia (por meio da ASA Açaí – Ação Sustentável da Amazônia –, com loja na região portuária). No menu do Aprazível há clássicos como os pães de queijo recheados com linguiça, o pastel de angu com carne moída, o “cordeiro sagrado”, a paleta assada com canjiquinha mineira, o “marreco aprazível”, o peito grelhado ao molho de ameixa, passas e vinho tinto, com arroz-preto e purê de maçã, e a famosa galinhada, com a carne desfiada no arroz, mais linguiça, couve, feijão, banana e geleia de pimenta. Inaugurado em 1997, o Aprazível completa 20 anos em 2017. A novidade mais recente é o Secreto: é como se fosse outro restaurante dentro do Aprazível, com menus fechados, para apenas dez pessoas por noite (fundamental reservar), um passeio pelas criações do jovem e promissor chef Breno Naar, que prepara pratos como uma marcante língua com purê de aipim.

ORO

Rua General San Martin, 889, Leblon. Tel. 2540-8768. Ter. a sex., 19h30/23h; sáb., 13h/15h e 19h30/23h. ororestaurante.com.br

SENSAÇÃO. Mil-folhas montado com acelga, caldo de carne e filé de costela assada. Um dos melhores pratos da nova safra

O novo Oro, inaugurado neste ano no Leblon, tem muito do antigo – que marcou a melhor fase do chef Felipe Bronze –, ao mesmo tempo que mudou em vários aspectos. O que a equipe já vinha desenvolvendo nos últimos anos, uma cozinha com pegada contemporânea, mas cheia de inspirações afetivas, muito brasileira e carioca, sobretudo, continua sendo a essência dos menus que andam variando com grande frequência – desde a inauguração, em meados de abril, já foram pelo menos quatro cardápios. O que mais mudou na cozinha não foi o estilo, mas os métodos. Não que as técnicas e os equipamentos avançados tenham saído do processo, mas a grande protagonista hoje da cozinha é a brasa, a grelha, a churrasqueira. É uma tendência mundial o uso de fogo e outras formas mais rudimentares de cozimento. “Hoje, em cada prato que fazemos no Oro, pelo menos um elemento passa pela churrasqueira”, diz o chef Felipe Bronze, que conta com pelo menos três tipos de churrasqueiras na cozinha. Ele aponta o mil-folhas de costela, com acelga e caldo de carne, como um dos melhores pratos da nova safra. Outro ponto a destacar no novo Oro é o trabalho do time competente e entrosado, que valoriza a experiência: comece com o drinque no 2o andar, pelas mãos de Rod Werner, e depois deixe a sommelière argentina Cecília Aldaz, mulher de Bronze, conduzir a harmonização de vinhos, sempre surpreendente e bem executada. Nos bastidores da cozinha, Rodrigo Guimarães é braço direito do chef e tem na retaguarda um dos maiores talentos na confeitaria entre a nova geração: as sobremesas do Oro chamam a atenção pelo sabor, pela beleza e pela criatividade, méritos de Henrique Rossanelli. Uma engrenagem perfeita.

PICI TRATTORIA

Rua Barão da Torre, 348, Ipanema. Tel. 2247-6711. Seg. a qui., 12h/15h e 19h/0h; sex., 12h/15h e 19h/1h; sáb., 12h/16h e 19h/1h; dom., 12h/17h

SUCESSO. Nhoque ao pesto, com creme de burrata e raspas de limão-siciliano. No ano de estreia, a trattoria tem dupla premiação

Logo em seu ano de estreia, pouco depois de abrir as portas, em Ipanema, a Pici Trattoria conseguiu uma façanha. Ganhou dois prêmios. Venceu como lugar bom e barato, mas também como Melhor Italiano da cidade. Faz bonito ao servir, em plena Praça Nossa Senhora da Paz, um menu de almoço, com entrada, prato principal e sobremesa, a R$ 38. Não se surpreenda se encontrar aquele vinho que você compra regularmente com preço igual ou até mesmo inferior ao que está habituado a pagar. O segredo por detrás do sucesso é o jovem chef Thiago Berton. “Passei por restaurantes contemporâneos, mas me formei na Itália e acabo combinando isso na cozinha. Tenho a base tradicional, mas também a preocupação com a apresentação bem cuidada, a precisão no preparo”, diz o chef. O menu regular tem carne cruda (R$ 28), uma espécie de tartare trufado, coroado com uma gema de ovo e servido esparramado sobre uma tábua de madeira. Há petiscos perfeitos para gastar a tarde entre amigos com uma taça de vinho nas mãos, como o arancini, o bolinho de risoto típico da Sicília, e o gnocco frito, uma massa de pão com salame, crocante, crocante. A seção de “pasta” é de arrepiar: tem pici, massa rústica e roliça que batiza a casa, de origem toscana, com tomate, linguiça, shiitake e alecrim; e uma versão da carbonara digna de nota, com chuva de legítimo pecorino, panceta da melhor qualidade e gema de ovo mole que se esconde debaixo do espaguete. Também vem fazendo sucesso o polvo, com os tentáculos macios e bem grelhados, servido com purê de baroa e cebolas carameladas. Para a sobremesa, difícil evitar o tiramisù, um dos melhores do Rio, mas a rabanada com sorvete de baunilha e a torta caprese, de amêndoas e avelãs com chocolate, valem a investida.

OLYMPE

Rua Custódio Serrão, 62, Lagoa. Tel. 2537-8582. Seg., 19h30/0h; ter. a sex., 12h/16h e 19h30/0h; sáb, 19h30/0h; e dom., 12h/ 17h. olympe.com.br

OUSADIA. Ricota de búfala, quiabo fermentado, picles de minilegumes no vinagre e mel, zest de laranja e castanha-do-pará. Criação do chef Thomas Troisgros

Depois que o chef Thomas Troisgros assumiu a cozinha do Olympe, onde muitas vezes dá expediente ao lado do pai, Claude, o menu do restaurante ganhou um toque de frescor e de ousadia. E de acidez. “Em qualquer prato eu acho fundamental a acidez, que dá equilíbrio, intensidade. Tenho feito muitas receitas usando picles e conservas tipo kimchi, uma conserva de origem coreana, picante”, revela. Se por um lado o restaurante mantém pratos clássicos, e sua sólida base culinária francesa, basta dar uma espiada nas criações de Thomas para perceber essa inclinação para os sabores ácidos. Para começar, pode-se escolher entre ceviche de vieiras com batata-doce agridoce, olho-de-boi curado com purê de beterraba acidulada e polvo de mergulho prensado com minilegumes no vinagre e mel; em seguida o menu lista opções como palmito azedo, beurre blanc de tucupi e queijo tulha; oeuf “en coque” com purê de azedinha e espuma de galinha caipira (espetacular) e raviolone de baroa com pinole e iogurte grego; além de, como principal, pargo, kimchi de acelga, tutano, vinagrete quente de gamay e o magret de pato com purê de maracujá, endívia grelhada e foie gras. “Quem cria mesmo os pratos hoje é o Thomas. E eu estou muito contente com o trabalho que ele vem realizando, fico tranquilo em deixá-lo no comando da cozinha”, conta o chef e pai coruja, com razão, Claude Troisgros, que assina algumas receitas do repertório de clássicos do Olympe, como “la crêpe passion”, criada em 1982, algo entre uma panqueca e um suflê, ao maracujá, entre outras receitas que já fazem parte da história da gastronomia brasileira.

SATYRICON

Rua Barão da Torre, 192, Ipanema. Tel. 2521-0627. Dom. a qui., 12h/0h; sex. e sáb., 12h/ 1h. satyricon.com.br

IRRESISTÍVEL. Lagostins frescos. Alguns ingredientes são criados em aquário e ficam à mostra no salão

O Satyricon é a combinação de duas coisas irresistíveis. Pescados e cozinha italiana. Quando o assunto são peixes e frutos do mar, difícil competir com a casa fundada pelo saudoso Miro Leopardi, morto no ano passado. Sem trocadilho, a casa nascida em Búzios, no começo dos anos 1980, e que ganhou filial em Ipanema, é um porto seguro para receitas marítimas, por duas razões básicas: a excelente procedência da matéria-prima e o preparo seguro e sem grandes complicações das receitas de perfil mediterrâneo. De uma maneira geral, são receitas simples, que valorizam o frescor dos pescados. O “crudi di mare nostrum” integra a categoria dos imperdíveis. Trata-se de uma porção farta, para ser dividida entre os que estão à mesa. Cercados de muito gelo, são cerca de oito pratinhos com diferentes peixes e frutos do mar, seleção que varia regularmente, com carpaccios e tartares, vinagrete de polvo, ovas e atum confitado. Parte dos ingredientes, como lagostas e mariscos, além de vieiras e ouriços, que podem ser servidos crus, é criada em aquários que ficam à mostra, enfeitando o salão e aguçando o apetite. As lagostas brilham em muitas receitas, assim como lagostins e camarões. O fettuccine all’aragosta é uma massa infalível, ainda melhor nos dias quentes, com molho de tomate, espumante e manjericão. E, para perceber o sabor do crustáceo em seu maior esplendor, os scampi ala griglia são grandes lagostins, grelhados à perfeição, cortados ao meio, que podem ganhar gotinhas de limão, molho de manteiga queimada e até mesmo um risoto de siciliano, mas dispensam qualquer acompanhamento ou adereço. O mar em sua melhor forma, seu nome é Satyricon.

SUSHI LEBLON

Rua Dias Ferreira, 256, Leblon. Tel. 2512-7830. Seg.,12h/16h e 19h/1h30; ter. a sáb., 12h/1h30; dom.,13h/0h. sushileblon.com

ORIGINALIDADE. Sushi de ovo de codorna. Pratos autorais dividem espaço com clássicos da culinária japonesa

Desde que abriu as portas, em 1986, o Sushi Leblon frequenta a lista de melhores restaurantes japoneses da cidade e também de endereços mais bem frequentados do Rio – sua varanda debruçada sobre a Rua Dias Ferreira é palco de observação, a fila de espera é lugar de muita “social”, e o salão de encontros – tente um lugar no disputado balcão. A casa do trio Ana Carolina Gayoso (e a filha Bianca), Marina Hirsch e Bia Stewart acompanhou com pioneirismo as mudanças que a gastronomia mundial e a brasileira viveram nas últimas três décadas. No período, trouxeram chefs espanhóis e, em 2001, com o menu das comemorações dos 15 anos do restaurante, abriram as portas para o então jovem Felipe Bronze iniciar sua carreira em terras brasileiras, dando toques contemporâneos que acabaram se tornando a marca registrada do Sushi Leblon. Jun Sakamoto, por exemplo, o maior sushiman do Brasil, hoje em São Paulo, passou por lá. Ali encontramos clássicos japoneses preparados como manda o figurino, de nigiris e sashimis a tempurás, yakisobas e harumakis, mas também uma série de pratos autorais que marcaram estas três décadas de vanguarda, da famosa dupla de ovo de codorna trufado (prove também a versão com agulhão) ou de salmão com quinoa crocante (há uma versão com flocos de arroz) ao atum semigrelhado com foie gras e maçã-verde, às patas de caranguejo empanadas em bifum e, para encerrar, doce de leite com sorvete de coco.

CAPRICCIOSA

Rua Maria Angélica, 37, Jardim Botânico. Tel. 2527-2656. Dom. a qui., 18h/1h; sex. e sáb., 18h/2h. Filiais: Ipanema, Copacabana e Búzios. capricciosa.com.br

DIVERSIDADE. Pizza de salsiccia e friarielli, com muçarela, linguiça artesanal e brócolis italiano. O menu traz mais de 50 sabores

Nunca o Rio de Janeiro comeu pizzas tão bem quanto agora. Chegaram redes paulistas aclamadas à cidade, vieram pizzaiolos estrangeiros e hoje podemos listar mais de uma dezena de bons lugares para comer as amadas massas, assadas como manda a regra em fornos a lenha e com coberturas caprichadas. Quem começou isso tudo, no final dos anos 1990, e continua firme e forte no posto de pizzaria mais amada pelos cariocas é a Capricciosa, fundada em Ipanema e hoje com lojas também em Copacabana e no Jardim Botânico (a unidade mais importante e maior, onde às vezes são lançadas pizzas e festivais em edições limitadas). A lista de pizzas e outras massas semelhantes é grande, dividida em categorias, totalizando mais de 50 sabores: focaccie romane, mais alta e fofinha; pizze rosse, com molho de tomate e muçarela de búfala, seguindo a linhagem mais tradicionalista de Nápoles; pizze bianche, num estilo mais ao norte, da Ligúria, sem molho de tomate, mas com muçarela de búfala; pizze senza mozzarella, algo mais leve e mediterrâneo, com molho de tomate e sem queijo na cobertura; as chamadas “gourmet”, com coberturas menos convencionais; as sem glúten, com farinha italiana especial; e finalmente os calzones, com a massa fina fechada como um grande pastel. Obviamente, nesse universo a escolha não é fácil, mas algumas coberturas merecem destaque, como all’amatriciana, com tomate, pancetta, bacon, cebola e pecorino; toscana D.O.P, com linguiça suína artesanal, alho-poró e orégano fresco; e a levíssima mediterrânea, sem queijo, preparada com atum fresco, azeitona, cebola, aipo e tomate-cereja.

GRUTA DE SANTO ANTÔNIO

Rua Silva Jardim, 148, Niterói. Tel. 2621-5701. Dom. a qua. e feriado, 11h30/16h30; qui. a sáb., 11h30/22h30. grutadesantoantonio.com.br

TRADIÇÃO. Bolinhos de bacalhau, com recheio de queijo. Pratos com bacalhau se destacam no cardápio

De táxi, a partir da Estação das Barcas, são apenas uns cinco minutos. De carro, ao descer da Ponte Rio-Niterói, pegamos à direita em direção à localidade Portugal Pequeno, no bairro Ponta d’Areia. Para muitos cariocas, o melhor restaurante português do Rio está do outro lado da ponte. A comunidade lusitana que ali se instalou levou o lugar a ser batizado como Portugal Pequeno, mas a cozinha da Gruta de Santo Antônio é grandiosa. A novidade é que não é mais preciso ir a Niterói para se deliciar com as receitas da família de Dona Henriqueta Henriques. Em novembro foi inaugurado o Filho D’Mãe, no Centro Gastronômico Vogue Square, na Barra da Tijuca, idealizado pelo filho, Alexandre Henriques. “O lugar vai manter a essência da Gruta, mas com novidades como o leitão à bairrada, que só era servido sob encomenda e estará no cardápio regular”, revela. Com 39 anos de vida, a casa cresceu e se modernizou, principalmente nos últimos anos, quando Dona Henriqueta recebeu o reforço dos filhos. Alexandre Henriques incorporou ao cardápio muitas de suas deliciosas criações, como os camarões a Bulhões Pato (por falta das amêijoas que são usadas tradicionalmente nesse prato em Portugal), o bolinho de bacalhau com recheio de queijo da Serra da Estrela e o pastel de nata de bacalhau (como não pensaram antes nessas duas variações de clássicos lusitanos?), além da panelinha de lagostins à Borgonha, uma cocote fumegante com abobrinha, shiitake e alho-poró, fervilhando no azeite junto do crustáceo. Como boa casa portuguesa, com certeza, os bacalhaus se destacam no cardápio, e, caso tenha de escolher apenas um, vá no tradicional lagareiro, especialidade da cozinha, junto com as pataniscas carnudas como aperitivo.

CELEIRO

Rua Dias Ferreira, 199, Leblon. Tel. 2274-7843. Seg. a sáb., 11h/ 17h. celeiroculinaria.com.br

ARTESANAL. Talharim de abobrinha ao pesto, saladas e carpaccio de palmito. O cardápio, com produtos locais e orgânicos, muda diariamente

Nos últimos anos o Rio acompanhou a multiplicação dos restaurantes de perfil mais natural, entre veganos e casas um pouco menos ortodoxas, que apostam em saladas e pratos mais leves, simplesmente. Prestes a completar 35 anos – foi inaugurado em 1982, por Rosa Herz, com as filhas Lúcia, hoje mais à frente dos negócios, e Bia – o Celeiro, no Leblon, foi um dos pioneiros e continua entre os preferidos quando o assunto é comida saudável no Rio. Não faz cardápios com restrições às carnes, há boas milanesas, por exemplo, além de massas com queijos, bolos, tortas, pães. Mas não deixa de ser uma referência no assunto, primeiro porque é tudo feito em pequenas porções, ali mesmo, de maneira artesanal e carinhosa. As saladas que colorem o bufê valorizam a matéria-prima bem escolhida, com foco em produtores locais e orgânicos, variando constantemente. Estão sempre em cartaz clássicos tombados pela clientela, como o frango ao curry com amêndoas e passas, e muitas variações com o ótimo molho pesto da casa, que pode entrar em receitas já conhecidas, como o fusilli com peito de peru e queijo de minas, ou em novas criações, como a mais recente, uma espécie de espaguete, só com “massa” de abobrinha. Os vegetarianos também encontram amparo ali, com uma série de receitas pensadas para esse público cada vez mais numeroso. Há quem vá por causa das quiches, outros por conta das sopas, quentes e frias. Produtos como alguns pães, biscoitos e bolos podem ser comprados e levados para casa.

EÇA

Av. Rio Branco, 128, centro. Tel. 2524-2401. Seg. a sex., 12h/16h. hstern.com.br

EXUBERÂNCIA. Torta de crémeux de graviola com chantilly mascarpone e morangos. Peça também o fondant de chocolate com praliné, um clássico

Discretamente instalado no subsolo da loja da H. Stern na Avenida Rio Branco, no centro, o Eça tem um cozinheiro que é uma joia, o belga Frédéric de Maeyer, um dos melhores e mais completos do Rio. Seus menus estão sempre mudando, mas ele mostra técnica e precisão raras de ver, no preparo de carnes e de peixes, de molhos e de risotos e outras guarnições, nos purês e musselines e nos doces, repletos de nuances e texturas. Técnica e precisão são dois fatores fundamentais para a confeitaria, e, somando isso ao talento natural do chef para lidar com chocolate, está explicado por que o Eça está sempre no topo das listas de melhores sobremesas do Rio, mas – diga-se – isso é muito pouco para falar do talento do chef. Os menus do Eça mudam sempre, mas os doces com base de chocolate estão sempre em cartaz, como o clássico imexível, o fondant de chocolate com praliné. Receitas famosas pela dificuldade, como suflês, saem com precisão. As sobremesas com frutas podem trazer sorvetes feitos na casa, compotas, cremes e caldas, pequenas hóstias de suspiro, financiers e biscoitinhos, e crumbles perfeitos, para darem um contraste nas texturas e temperaturas. E, se o assunto é encerramento de refeição, talvez não haja outra grande finale melhor no Rio do que o café do Eça, que vem acompanhado por “tuiles” carameladas de amêndoas, as melhores da cidade, e outros petit fours, além dos chocolates (pedidos à parte), todos feitos ali.

BAZZAR

Rua Barão da Torre, 538, Ipanema. Tel. 3202-2884. Seg. a sáb., 12h/ao último cliente; dom., 12h/19h. bazzar.com.br

AMBIENTE. O projeto arquitetônico está entre os mais românticos do Rio. No cardápio, receitas originais e excelentes bebidas

O Bazzar, assim como Cristiana Beltrão, sócia e idealizadora do restaurante, é muito carioca e, ao mesmo tempo, internacional, atento a tudo o que acontece no mundo, da gastronomia principalmente. Ela viaja, estuda e traz ideias e provocações superatualizadas para serem trabalhadas por seu escudeiro da cozinha, o chef Claudio de Freitas, com formação francesa, cada vez mais certeiro em suas criações, e que usa a criatividade na medida exata para elaborar receitas bem originais e bem executadas. O cardápio da casa foi apurado ao longo de seus 18 anos de praia, completados neste dezembro de 2016: nasceu na Lagoa, cresceu e apareceu em Ipanema, um dos mais belos projetos de arquitetura entre os restaurantes do Rio, e dos mais românticos. A varanda debruçada sobre a Rua Barão da Torre convida a uma refeição tranquila ou a um drinque e um petisco apenas. Entre os que já viraram clássicos da casa estão as vieiras de Ilha Grande com abacate e perfume de baunilha, o queijo de cabra da teresopolitana fazenda Genève, servido com pistache, azeite de manjericão, creme de beterraba com castanha-de-caju e tapenade de azeitonas pretas (ou o carpaccio de pato de Sapucaia com o mesmo queijo e um toque de tomilho). O menu, que muda sempre e ganha novos pratos a cada estação, passeia por referências afetivas que são puro aconchego, como o coelho com cogumelos e mostarda e purê de batata-doce ou o búrguer de picanha com cheddar; e outras que apontam para a leveza e o frescor de saladas e pescados de nossa costa, como o miniarroz do Vale do Paraíba, com vôngoles, polvo, lula e camarões.

GERO

Rua Aníbal de Mendonça, 157, Ipanema. Tel. 2239-8158. Seg. a sex., 12h/16h e 19h/1h; sáb., 12h/1h30, dom. e feriados, 12h/0h. fasano.com.br

IMPECÁVEL. Frequentadores do Gero. Em almoços de negócio ou reuniões de família, cozinha e serviço primorosos

Almoçar no Gero não é apenas comer em um dos melhores restaurantes do Rio, com cardápio tradicional italiano e serviço sempre impecáveis. Fazer uma refeição ali na construção de tijolinhos aparentes numa esquina no coração de Ipanema é sempre muito mais que isso. Para os frequentadores – e muitos batem ponto ali quase diariamente – é também parte da rotina social, de encontros com amigos ou colegas de trabalho, reuniões de negócios e celebrações em família. Como se fossem conhecidos sócios de um clube (e de fato é quase isso), as pessoas se conhecem e se cumprimentam, formam mesas, as desfazem, e muitas vezes o almoço entra pela tarde, geralmente depois de muitas rodadas de pratos e de vinhos. Políticos, empresários, jornalistas, artistas e famosos de várias naturezas se encontram ali, junto com animados grupos de senhoras elegantes, mesas de amigos engravatados e outros que levam ao salão um pouco da informalidade carioca – que fez permitir, de tarde, clientes de bermuda, algo sempre vetado pelo Grupo Fasano. As abobrinhas do couvert são irresistíveis, e entre as entradas clássicas estão carpaccios e tartares, de carne e de pescados, e suas variações, como o vitello tonnato. As massas, como o ravióli de pato com molho de laranja, assinatura da casa, e as carnes, como o ossobuco de vitelo com risoto à milanesa, de açafrão, e o stinco de cordeiro ao forno, montam um dos cardápios mais tradicionais e bem executados do Rio. Para encerrar, a mil-folhas de massa crocante e recheio de creme, ao perfume de baunilha e limão. Bravo!

MASSA

Rua Dias Ferreira, 617, lojas A e B, Leblon. Tel. 3985-8191. Seg. a dom., 12h/17h e 19h/1h. massarestaurante.com

CASEIRA. Fettuccine de cenoura com carne assada de wagyu, agrião e crocante de queijo Canastra. As massas são de fabricação própria

Inaugurado em 2015, o restaurante Puro logo ganhou notoriedade e se destacou entre as melhores novidades do ano ao apresentar o jovem chef Pedro Siqueira ao grande público. Com passagem pelo Grupo Fasano, o cozinheiro gaúcho conseguiu em seu restaurante, no Jardim Botânico, alcançar sucesso de crítica e público, ao montar um cardápio que passeia pelos sabores brasileiros, com originalidade, equilíbrio e ótima execução técnica, com matéria-prima escolhida a dedo. “Foi no Puro que nasceu a ideia do Massa. Um dos pratos de maior sucesso é o pastelini, uma massa recheada com ricota de búfala, tomates, castanhas e manjericão. E, por incrível que pareça, muita gente falava que sentia falta de um restaurante para comer massa assim, na Zona Sul. Então, achei que tinha potencial e apliquei o mesmo conceito do Puro, algo que seja brasileiro, artesanal, saboroso, confortável. Afinal, quem não gosta de uma massa?”, pergunta o chef. Dessa maneira nasceu o Massa, uma “massaria” brasileira, como se define, com fabricação própria, em área envidraçada que se avista do salão. Então, Pedro Siqueira conseguiu um feito. Emplacar, um ano depois, o Massa, a exemplo do Puro, em 2015, como uma das melhores novidades da temporada. Feito merecido, conquistado graças a pratos como a “gôndole” espécie de ravióli recheado com pera e maçã, ao molho cremoso de gorgonzola e crocante de castanha; o filé de costela com espaguete da casa ao creme de queijo e pimenta (um caccio e pepe brasuca) e o “nosso ramén”, macarrão com feijão, caldo de porco, couve seca, ovo, cebolinha tostada, pasta de feijão-preto e barriga de porco. Que ele continue assim.

LASAI

Rua Conde de Irajá, 191, Botafogo. Tel. 3449-1834; ter. a sex., 19h30/22h30. lasai.com.br

PERFEIÇÃO Copa lombo de porco montau, com couve-rábano e ervilha-amarela. O chef Rafa Costa e Silva cultiva boa parte dos ingredientes em duas hortas

O carioca Rafa Costa e Silva conseguiu em pouco tempo de carreira chegar ao posto de braço direito e comandante da brigada do estrelado chef Andoni Luis Aduriz, no Mugaritz, no País Basco, Espanha, há anos frequentando as mais altas colocações nas listas de melhores restaurantes do mundo. Quando decidiu abrir seu restaurante na cidade onde nasceu, ele resolveu ir além da cozinha e passou a ser também agricultor. Rafa cultiva boa parte dos ingredientes servidos no Lasai em suas hortas – de legumes, temperos e tubérculos, como pastinaca e acelga. A produção caseira inclui os ovos, que sempre ganham destaques nos menus da casa (a gema mole acomodada em purê de inhame e coco com carne-seca é um clássico desde a inauguração). Outra parte da matéria-prima vem de pequenos produtores, grande parte deles do Rio (a qualidade dos pescados impressiona). Inaugurado em 2014, o restaurante desde então está sempre cotado entre os melhores do país, servindo pratos marcados pela beleza na apresentação (incluindo lindas louças), rigor técnico absoluto e muito equilíbrio, sempre explorando poucos ingredientes, que aparecem com nitidez em cada receita. Os cardápios variam com a mesma frequência que as estações e o colorido das feiras. São duas opções, e é necessário fazer reserva (os lugares na bancada diante da cozinha estão entre os mais disputados, e o balé da equipe no preparo dos pratos vale a investida). No menu Não Me Conte Histórias (R$ 295), o cliente escolhe os pratos, enquanto no chamado Festival (R$ 345) a sequência é uma surpresa, começando com pequenos bocados, para serem comidos com as mãos, de preferência no terraço do 2o andar, com vista para o Cristo. Vale notar o serviço, capitaneado por Malena Cardiel, mulher de Rafa, e pelo sommelier Oliver Gonzales, que aposta em drinques autorais, cervejas artesanais e vinhos naturais, montando harmonizações que estão entre as melhores do Rio.

THOMAS TROISGROS

Rua Custódio Serrão, 62, Lagoa. Tel. 2537-8582. Seg., 19h30/Oh; ter. a sex., 12h/16h e 19h30/0h; sáb., 19h30/0h; dom., 12h/17h. olympe.com.br

INSPIRAÇÃO Thomas Troisgros, do Olympe. Nas viagens, ideias para suas novas receitas

“O Thomas vem fazendo um belo trabalho, tanto na criação quanto na execução dos pratos e na liderança da cozinha. Estou bem orgulhoso”, elogia Claude Troisgros, o pai, que deixou nas mãos do filho o comando do Olympe. Não é coisa de pai coruja. O júri de ÉPOCA Rio concorda, consagrando o chef com o título de Melhor do Ano, encabeçando nossa lista de personalidades da gastronomia carioca, incluindo padeiros, sommeliers e restaurateurs, entre outras categorias. O ano de 2016 de fato marca a consolidação de thomas troisgros à frente da casa no Jardim Botânico, que conquistou ainda o prêmio de Melhor Francês. Apesar de estar chefiando a cozinha do Olympe desde 2010, o período de transição correu lentamente, até o estágio atual. “O Menu Confiance passou a ter meus pratos de dois anos para cá. Eu me inspiro muito nas viagens que faço. A última foi para o México e hoje ando fazendo muitos testes com pimentas. Envolvo muito a equipe no processo. Leio muita coisa na internet, vejo muita foto no Instagram e mostro para eles, como forma de inspirar uma receita e até a apresentação do prato”, diz Thomas, a quarta geração de chefs da família Troisgros, um dos sobrenomes mais importantes da gastronomia mundial – os primos seguem o mesmo caminho. Ele lembra do primeiro prato que criou em parceria com o pai, um “falso tutano”, cujo osso é palmito e recheio foie gras. De vez em quando o prato pode voltar ao menu, que muda regularmente. Entre as criações recentes da nova lavra do chef estão pratos como a língua em duas texturas com babaganoush de jiló e couve-flor no limão, o talharim de pupunha fermentada com queijo tulha e tucupi, os mexilhões com quiabo e aipim e uma versão do bom e velho jabá com jerimum. Porque, mais do que nunca, o Olympe é uma casa franco-brasileira.

UM ROTEIRO DE EXPERIÊNCIAS GASTRONÔMICAS

Os restaurantes indicados ao Prêmio ÉPOCA Melhor do Rio são um convite irresistível a experimentar o que a gastronomia da cidade tem de melhor. Um roteiro que contempla 20 categorias, entre casas tradicionais e novidades, para diferentes gostos e momentos.

NOVIDADE Prato do Aconchego Carioca. Comida impecável e ótima carta de cervejas

.Org Pequeno e simpático bistrô natural da chef televisiva Tati Lund. Pratos bonitos, saudáveis, saborosos e nutritivos. Av. Olegário Maciel, 175, Loja G, Barra da Tijuca. Tel. 2493-791. orgbistro.com.br
Aconchego Carioca Principal representante da nova geração de botequins que deram cara nova a essa instituição carioca. Comida impecável e ótima carta de cervejas. Rua Barão de Iguatemi, 379, Praça da Bandeira. Tel: 2273-1035 aconchegocarioca.com.br
Adegão Português A tradicional casa portuguesa de São Cristóvão, que já tinha filial na Barra, agora tem um espaçoso restaurante em Ipanema. No menu, clássicos lusitanos, fartos e sempre muito bem preparados. Rua Campo de São Cristóvão, 212, São Cristóvão. Tel. 2580-7288. adegaoportugues.com.br
Alloro O chef italiano Luciano Boseggia é conhecido pelos risotos, mas o cardápio apresenta muito mais, como a costeleta de cordeiro em crosta de ervas. Indicado em italiano e restaurante do ano. Av. Atlântica, 1.020, Copacabana. Tel. 2195-7857. allororistorante.com.br
Ancoramar Depois de mudar de donos, o tradicional Albamar, na única torre que restou do antigo mercado municipal, agora trocou de nome. O cardápio continua focado nos pescados, ainda é um porto seguro na categoria. Praça Marechal Âncora, 184, centro. Tel. 3513-1842. ancoramar.com.br
Antiquarius Desde 1977 prepara arroz de pato, bacalhau à lagareiro, alheiras, perna de cordeiro com feijão-branco e doces conventuais na mais famosa e badalada casa portuguesa do Brasil. Rua Aristides Espínola, 19, Leblon. Tel. 2294-1049.
Azumi Frequentado pela comunidade nipônica, tem até cardápio em japonês. Foge do trivial, servindo uma longa lista de pratos quentes. Tente um lugar no balcão dos fundos, junto à grelha. Rua Ministro Viveiros de Castro, 127, Copacabana. Tel. 2541-4294.
Bar do Mineiro Uma cozinha brasileira, com tempero caseiro e raízes mineiras. Faz sucesso entre cariocas e turistas, com feijoada (e um pastel recheado com ela), tutu à mineira, carne-seca com abóbora e rabada. Para beber, batida de lima-da-pérsia e licor de gengibre. Rua Paschoal Carlos Magno, 99, Santa Teresa. Tel. 2221-9227. bardomineiro.net
Bar Urca Agora é possível chegar pelo mar ao Bar Urca e sua famosa mureta, onde se petisca num dos melhores visuais do Rio. Tem gente que nem sabe, mas o 2o andar abriga um ótimo restaurante de pescados e inclinações lusitanas. Rua Cândido Gaffrée, 205, Urca. Tel. 2295-8744. barurca.com.br
Bistrot du Cuisinier Inaugurado no centro em 2013, o pequeno restaurante ganhou filial em Ipanema. Em ambos, o chef francês David Jobert recebe os clientes, apresenta o menu compacto, que muda sempre, e pilota a cozinha. Um achado. Rua Teófilo Otoni, 97, centro. Tel. 3179-0024. davidjobert.com.br
Boteco do Peixe Lugar simples, com mesas pela calçada. Quem olha não imagina que dali saem alguns do melhores e mais fartos pratos com peixes e frutos do mar do Rio. Tem o cardápio tradicional, que passeia pelos países ibéricos, com arroz de polvo, e por cozinhas do Brasil, com moquecas e caldeiradas. Rua do Mattoso, 125 P, Praça da Bandeira. Tel. 3576-7520
Bottega del Vino A casa pilotada pela dupla Dionísio Chaves e Nicola Giorgio tem cardápio italiano e ótima seleção de vinhos, incluindo boa oferta em taça. Indicado em carta de vinhos. Rua Dias Ferreira, 78, Leblon. Tel. 2512-6526. bottegadelvino.com.br
Bracarense Dia sim, outro também, as mesinhas pela calçada ficam lotadas. Resultado de décadas de bons serviços à boemia carioca, servindo chopes gelados, pratos do dia caprichados e, principalmente, os petiscos, como empadas, o famoso bolinho de aipim com camarão e catupiry e as porções de pernil e carne-seca acebolada. Rua José Linhares, 85, Leblon. Tel. 2294-3549.
BrázAs pizzas são de fermentação lenta, grandes, para ser divididas, e assam no forno a lenha. A massa é fofa, bem aerada, com bordas altas, e as coberturas em geral têm camadas simples, de ingredientes escolhidos a dedo. Rua Maria Angélica, 129, Jardim Botânico. Tel. 2535-0687. brazpizzaria.com.br
Camelo Novidade com DNA paulista, inaugurada em 1957, fez sua estreia carioca neste ano, servindo suas pizzas tradicionalistas assadas em forno a lenha. Entre as especialidades, a que leva o nome da casa tem escarola, aliche, ovos, palmito e azeitonas pretas. Av. Henrique Dumont,  57, Ipanema. Tel. 2274-2303. pizzariacamelo.com.br
Capim Santo Mais uma novidade da temporada 2016 vinda de São Paulo. A cozinha, sob o comando da chef Morena Leite, é leve e transita por saladas e sabores brasileiros. Bufê no almoço e à la carte no jantar. Shopping Village Mall. Av. das Américas, 3.900, Barra da Tijuca, 3o piso. Tel. 3252-2528 restaurantecapimsanto.com.br
Casa da Suíça Com suas fondues, é dos restaurantes mais procurados nas noites frias do inverno e no Dia dos Namorados. Entre clássicos alpinos e receitas com base em cremes, carnes, batatas e queijos, o steak tartare faz imenso sucesso. Rua Cândido Mendes, 157, Glória. Tel. 2252-5182 casadasuica.com.br
Chez L’Ami Martin O chef francês Pascal Joly executa com segurança clássicos da cozinha tradicional dos bistrôs de Paris. Tem de steak tartar a paillard de mignon com fettuccine. Estrada da Gávea, 899, Shopping Fashion Mall, São Conrado. Tel. 3322-2005.

ESSÊNCIA. Sobremesa do restaurante Térèze. A casa mistura técnicas e ingredientes da França e do Brasil

Chinatown Uma casa alpina na Tijuca, inaugurada em 1991, serve pratos chineses com ótima relação custo-benefício. O yakissoba misto, o mais pedido, é uma boa amostra disso. Rua Afonso Pena, 13, Tijuca. Tel. 2234-8882. chinatownrj.com.br
Churrascaria Palace O garçom Índio pilota alguns cortes que passeiam pelo salão, como a costela de boi. Há carnes na chapa e no espeto e vários festivais ao longo do ano, como de pescados e de cortes argentinos. Rua Rodolfo Dantas, 16, Copacabana. Tel. 2541-5898. churrascariapalace.com.br
Cipriani O requintado italiano do Copacabana Palace, com vista para a piscina, tem um dos espaços mais exclusivos da cidade, a Mesa do Chef, dentro da cozinha. O cardápio tem clássicos, como o ossobuco in gremolada con risotto alla milanese, e receitas criadas pelo chef. Hotel Belmond Copacabana Palace. Avenida Atlântica, 1.702, Copacabana. Tel. 2548-7070. belmond.com
Domenica Algumas das melhores novidades na gastronomia carioca estão na Tijuca. Caso desta pizzaria inaugurada no começo do ano e que logo se colocou entre as melhores do Rio. Rua São Francisco Xavier, 18, Tijuca. Tel. 3577-0009.
Eleven Rio Filial do restaurante Lisboeta, acaba de se mudar para Ipanema, no endereço da antiga Casa Vieira Souto. Tem menus-degustação impecáveis criados pelo alemão Joachim Koerper, com serviço e harmonização de vinhos a cargo do sommelier Jorge Nunes, português, dos mais competentes em atividade no país. Avenida Vieira Souto, 234, Ipanema. Tel. 2267-9282. elevenrio.com.br
Esplanada Grill Ganhou recentemente uma moderna filial no hotel Trump, da Barra, levando algumas das melhores carnes do Brasil, preparadas à perfeição. Entre as mais pedidas estão costeletas de cordeiro, ancho, picanha e prime rib. Rua Barão da Torre, 600, Ipanema. Tel. 2512-2970. esplanadagrill.com.br
Fasano Al Mare O chef italiano Paolo Lavezzini cria receitas autorais e apresenta clássicos da grife Fasano. Indicado em frutos do mar e italiano. Av. Vieira Souto, 80, Ipanema. Tel. 3202-4000. fasano.com.br
Ferro e Farinha A pequena casa acaba de completar dois anos. As pizzas mais originais do Rio, criadas pelo nova-iorquino Sei Shiroma, são feitas com massa de fermentação e coberturas que variam sempre. A domenico, com fior di latte, grana padano e manjericão, geralmente não sai do menu escrito à mão. Rua Andrade Pertence, 42, Catete.
Formidable Bistrot Investida do chef Pedro de Artagão pelo universo da cozinha de bistrô, com clássicos do gênero, às vezes reinterpretados, e com receitas mais autorais. Recentemente, passou a vender pães feitos na casa. Rua João Lira, 148, Leblon. Tel. 2239-7632. formidablebistrot.com.br
Galeto do Leblon Na badalada Dias Ferreira, talvez a mais movimentada via gastronômica da cidade, uma casa com preços honestos e comida caseira, especializada em grelhados. Rua Dias Ferreira, 154, Leblon. Tel. 2294-3997.
Gallo Carioca A rede, autodeclarada “Galeteria e Steakhouse”, tem perfil jovial, a começar pelo ambiente, e cozinha especializada em grelhados, com acompanhamentos como fritas e farofa, saladas e petiscos. Américas Shopping. Av. das Américas, 15.500, Recreio dos Bandeirantes. Tel. 3420-8558. gallocarioca.com.br
Giuseppe Grill Além de vários cortes de carne, serve peixes e frutos do mar frescos e abriga uma excelente adega. Indicado em carne e carta de vinhos. Av. Bartolomeu Mitre, 370, Leblon. Tel. 2249-3055. bestfork.com.br
Gula Gula No DNA da marca desde o nascimento, em 1984, estão as refeições leves. Hoje com 16 unidades, tem saladas, massas, quiches, tortas e pratos com tempero caseiro num cardápio leve e saboroso. Indicação: Em conta. Av. General San Martin, 1.196, Leblon. Tel. 2294-8792. gulagula.com.br
Irajá Gastrô Em degustações de três, cinco e oito etapas, o chef Pedro de Artagão mostra grande talento para recriar pratos e combinações tradicionais com criatividade e técnica. Há um menu à la carte, com pratos clássicos do chef e novas criações. Rua Conde de Irajá, 109, Botafogo. Tel. 2246-1395. irajagastro.com.br
Laguiole Com o talentoso e jovem chef Elia Schramm no comando da cozinha, o cardápio foi renovado e hoje é um dos melhores menus de almoço do Rio. Indicado em carta de vinhos, contemporâneo e restaurante do ano. Avenida Infante Dom Henrique, 85, MAM, Parque do Flamengo. Tel. 2517-3129. bestfork.com.br
Le Blé Noir Foi o lugar que apresentou aos cariocas a típica galette da Bretanha, feita com massa de trigo sarraceno e recheios muito bem elaborados, para comer bebendo uma xícara de cidra. Abriu filial na Barra. Rua Xavier da Silveira, 19, Copacabana. Tel. 267-6969. www.leblenoir.com
Locanda Della Mimosa No final de 2014, o chef italiano Danio Braga voltou a dar expediente na casa, em Petrópolis. No menu, versões de receitas italianas e criações com ingredientes brasileiros. A novidade são as aulas de gastronomia e vinhos comandadas por ele. Alameda das Mimosas, 30 (acesso pelo quilômetro 71,5 da BR-040), Vale Florido, Petrópolis. Tel. (24) 2233-5405. locanda.com.br
Lorenzo Bistrô Um dos restaurantes mais acolhedores da cidade, tem um cardápio de clássicos consagrados da gastronomia universal executados com cuidado e bons ingredientes. Não tem erro. Para ir a dois, em família e com amigos. Indicado em carta de vinhos e em conta. Rua Visconde de Carandaí, 2, Jardim Botânico. Tel. 2294-7830. lorenzobistro.com.br
MaèNoi O pequeno restaurante tailandês vem chamando a atenção com uma comida autêntica. Delicie-se com os pratos típicos e apimentados, como o pad thai e o curry verde, duas das estrelas do enxuto menu. Rua das Laranjeiras, 371, loja C, Laranjeiras. Tel. 3556-0707. maenoi.com.br
Málaga Um restaurante de cardápio variado. Espere pratos espanhóis (como o pulpo a la feria), portugueses (como o leitão à bairrada), alemães (como o labskaus) e brasileiros (como a moqueca e a feijoada), entre outros. Boa carta de vinhos. Rua Miguel Couto, 121, centro. Tel. 2233-3515. malaga.com.br
Mauá Comandado pelo chef Marcones Deus, o restaurante, que tem linda vista no terraço do MAR, passeia pela cozinha brasileira com inovação, capaz de criar pratos como o picadinho de caju. Filial no Lagoon. Museu de Arte do Rio. Praça Mauá, 5, Centro. Tel. 3031-2741.
Mironga A chef Luciana Plaas (ex-Vieira Souto) acaba de assumir a cozinha do simpático Mironga, perto da Praça Mauá, que tem ótimos hambúrgueres e um repertório de pratos bem preparados, como rabada. Av. Rio Branco, 19, centro. Tel. 2518-7727. mironga.com.br
Mitsuba Tem uma das maiores seleções de peixes e frutos do mar em um sushi bar, escolhidos diariamente pelo dono, Homero Cassiano, e listados na lousa ao lado do balcão. Indicado em japonês. Rua São Francisco Xavier, 170, Tijuca. Tel. 2264-0274. restaurantemitsuba.com.br
Mocellin Steak Uma nova maneira de servir rodízio de carne: os pedidos são feitos pelo cliente, das saladas e guarnições aos cortes, de alta qualidade, que são assados individualmente. Av. Armando Lombardi, 1.010, Barra da Tijuca. Tel. 2492-1878. mocellinchurrascaria.com.br
Mr. Lam O restaurante de Eike Batista serve pratos contemporâneos chineses com um padrão de ingredientes e execução altíssimo, raro de ver, e tem um dos melhores serviços da cidade, com ótima carta de vinhos e drinques, num espaço amplo com vista para a Lagoa. Rua Maria Angélica, 21, Lagoa. Tel. 2286-6661. mrlam.com.br 
Naga A pequena rede de restaurantes com comando familiar abriu no Rio uma filial suntuosa e moderna, com destaque para o balcão que valoriza a degustação de sushis, sashimis e outras versões. O frescor dos pescados é garantido. Aposte nas edições especiais, com ouriços, vieiras, centolla e enguia. Shopping Village Mall. Av. das Américas, 3.900, loja 302, Barra da Tijuca. Tel. 3252-2698. nagayama.com.br
Naturalie Bistrô Um dos maiores destaques na nova leva de restaurantes vegetarianos. A jovem Nathalie Passos, que estudou no Natural Gourmet Institute, trabalha ao lado da mãe, servindo menus leves e delicados, cheios de criatividade e cuidado na apresentação. Rua Visconde de Caravelas, 11, Botafogo. Tel. 2537-7443.
Oásis Talvez seja hoje a mais tradicional churrascaria rodízio do Rio. Espere uma grande mesa de saladas, com muitas variações, molhos, queijos, frios e afins, acompanhamentos servidos à mesa e uma seleção de carnes no espeto, como picanha e maminha. Estrada do Joá, 136, São Conrado. Tel. 3322-3144
Osteria dell´Angolo Uma esquina italiana com menu clássico que passeia por várias regiões do país. Os antepastos são obrigatórios: uma seleção de petiscos como polenta ao gorgonzola, salada de frutos do mar com alho-poró, e de atum com feijão-branco e cebola-roxa, lasanha de berinjela. Entre os pratos, os com frutos do mar e peixes merecem destaque. Rua Paul Redfern, 36, Ipanema. Tel. 2259-3148. osteriadellangolo.com.br
Pomar Orgânico Recebe muitos globais no café da manhã, almoço, lanche ou jantar. No local funciona ainda uma mercearia de produtos naturais. Estrada da Barra da Tijuca, 1.636, Itanhangá. Tel. 2494-6745. restaurantepomarorganico.com.br
Prana No embalo da alimentação saudável, tem cardápio enxuto, que muda sempre, com pratos do dia, sucos, smoothies e sanduíches (os dois últimos apenas após as 16 horas). Indicado em saudável e em sucos. Rua Ererê, 11, loja D, Praça São Judas Tadeu, Cosme Velho. Tel. 2245-7643. pranavegetariano.com
Prima Farina O ponto forte são as entregas de pizza, mas desde 2015 passou a receber a clientela na loja do Leblon. Prove as de presunto cozido com conserva de cogumelos e a de berinjela com queijo de cabra e hortelã. Rua Conde Bernardotte, 26, loja 112, Leblon. Tel. 2537-1800. primafarinapizzaria.com.br
Prosa na Cozinha De dia, um restaurante simpático, com menu do dia e um chef em ação na cozinha aberta. De noite, descontraídas aulas de culinária com os melhores chefs da cidade. Filial na Barra da Tijuca. Rua Lopes Quintas, 147, Jardim Botânico. Tel. 3449-1002. prosanacozinha.com.br
Puro Inaugurado neste ano, é a primeira casa do chef Pedro Siqueira, egresso do grupo Fasano. Uma das melhores novidades de 2015, continua renovando seu menu brasileiro e contemporâneo, com tempero autoral. Prove o pão com ovo à carbonara com barriga de porco. Rua Visconde de Carandaí, 43, Jardim Botânico. Tel. 3284-5377.purorestaurante.com.br
Quiosque Qui Qui Esse gastropub na Praia de São Conrado tem bonitos sofás com almofadas coloridas, mesas de madeira e está a um passo da areia. Serve comidinhas, vinhos e cervejas especiais. Avenida Prefeito Mendes de Moraes, s/n – QS-5 e 5B. Tel. 99721-1110.
Rancho Português Cozinha farta, com bons ingredientes e segura. Mérito dos bolinhos de bacalhau e do repertório de pratos bem executados com o peixe de outras receitas típicas. Rua Maria Quitéria, 136, Ipanema. Tel. 2287-0335. ranchoportuguesrio.com.br
Ró – Raw & Wine Uma das grandes novidades de 2016, não apenas por servir uma comida original e deliciosa, além de leve e saudável, mas por ser único na categoria. Não é apenas um vegetariano, segue a linha “raw food”, ou seja, comida crua. Não há fogões na cozinha e nenhum alimento passa de 42 graus em seu preparo. Rua Pacheco Leão, 102, Jardim Botânico. Tel. 3559-0102.
Royal Grill É sempre um reduto confiável para aproveitar os mais variados cortes. Há quem diga que o hoje difundido palmito assado na brasa, guarnição quase obrigatória, teria sido servido pela primeira vez ali. Casa Shopping. Av. Ayrton Senna, 2.150, loja A, Barra da Tijuca. Tel. 3325-6166.
Rubaiyat Um dos mais belos restaurantes do Rio, debruçado sobre a pista do Jockey Club. A comida fica à altura, com menu baseado em pescados e carnes (o gado é de produção própria), com produtos de qualidade. Feijoada aos sábados, junto com os páreos, é um programão. Rua Jardim Botânico, 971, Jardim Botânico. Tel. 3204-9999. rubaiyat.com.br
Sawasdee O chef Marcos Sodré prepara receitas tailandesas, mas faz algumas concessões a outras escolas culinárias (tem ceviche de salmão, por exemplo). No menu há pratos como o ninho de macarrão celofane com picadinho de porco ao curry vermelho e uma seção dedicada a clássicos da casa. Rua Dias Ferreira, 571, Leblon. Tel. 2511-0057. sawasdee.com.br
Térèze O restaurante mantém uma cozinha autoral que transita por técnicas e ingredientes da França, terra dos donos do Santa Teresa Hotel, onde está instalado, e do Brasil. Rua Felício dos Santos, 15, Santa Teresa. Tel. 3380-0259. santateresahotelrio.com
Teva É um bar, com drinques bem bolados e ambiente moderno e jovial, cuja cozinha se dedica apenas aos pratos feitos com vegetais e cogumelos, como o bobó de shiitake. Avenida Henrique Dumont, 110, loja B, Ipanema. Tel. 3253-1355. 
The Slow Bakery A padaria, que, ao inaugurar, já tinha uma legião de fãs, abriu um café em Botafogo que fez sucesso imediato, servindo refeições ligeiras que exploram os pães da casa, com tartines, sanduíches e variações de ovos, como a frigideira com cogumelos e molho de tomate. Rua São João Batista, 93, Botafogo. Tel. 3563-8638. theslowbakery.com.br
Venga Chiringuito Inaugurada neste ano, a versão praiana do Venga mexeu ligeiramente no cardápio, com mais variedade de pratos de peixes e frutos do mar e as paellas e fideuás, como a marinera. Av. Atlântica, 3.880, Copacabana. Tel. 3264-9806. venga.com.br
Yumê Com 12 anos de estrada, a simpática casa serve uma cozinha japonesa com alguma influência de outros países orientais. Entre os clássicos, a lula recheada com cogumelos e queijo de búfala, o sashimi no maçarico e o tartare de salmão com camarão e ovas. Rua Pacheco Leão, 758, Jardim Botânico. Tel. 3205-7321. yumekin.com
Zazá Bistrô Tropical A casa tem cardápio, decoraçãoe proposta bem originais. Serve menus autorais em clima descontraído, embalado por boa música e serviço atento, incluindo ótima seleção de vinhos e drinques. Rua Joana Angélica, 40, Ipanema. Tel. 2247-9101. zazabistro.com.br