as vítimas
Jogadores
Aílton Canela
  • 22 anos
  • atacante
  • 6 jogos pela Chapecoense
Ailton Cesar Junior Alves da Silva, o Canela, tinha 22 anos e nasceu em Matão, no interior de São Paulo. Antes de ingressar na Chapecoense neste ano, o atacante já havia atuado no Monte Azul Paulista e no Botafogo de Ribeirão Preto. Também era conhecido como Juninho pelos membros da equipe – o “Canela” era herança do Botafogo de Ribeirão, onde jogou a Série D em 2015.
Ananias Monteiro
  • 27 anos
  • meia
  • 92 jogos pela Chapecoense
Ananias Eloi Castro Monteiro, nascido em São Luís, no Maranhão. Foi contratado pela Chapecoense em dezembro de 2014. Comelou na base do Bahia, passou por Portuguesa, Cruzeiro, Palmeiras e Sport. Ananias ganhou notoriedade ao marcar o primeiro gol do Allianz Parque, estádio do Palmeiras. Ele era uma espécie de talismã da Chapecoense, destacando-se com gols em momentos decisivos.
Arthur Maia
  • 24 anos
  • meia
  • 23 jogos pela Chapecoense
Arthur Brasiliano Maia nasceu em Maceió. Começou a carreira no Vitória, em 2013, e passou por Joinville, América-RN e Flamengo. Estava emprestado à Chapecoense pelo Vitória desde 13 de maio de 2016 e tinha planos de retornar. Planejava passar o fim de ano em Maceió, ao lado da família.
Bruno Rangel
  • 34 anos
  • atacante
  • 162 jogos pela Chapecoense
Bruno Rangel, de 34 anos, foi o maior artilheiro da história da Chapecoense, com 77 gols. Nasceu em Campos dos Goytacazes, no norte fluminense. Tornou-se ídolo do Furacão do Oeste ao marcar gols na campanha que levou o time à Série A do Brasileirão em 2013. Realizou o sonho de jogar futebol no exterior na temporada seguinte, quando foi para o Al-Arabi, no Catar, e retornou no ano seguinte, de volta ao alviverde. Além da Chapecoense, Bruno passou por Paysandu e Joinville.
Cléber Santana
  • 35 anos
  • meia
  • 96 jogos pela Chapecoense
Cléber Santana Loureiro nasceu em Abreu e Lima, em Pernambuco. Começou no Sport, passou em grandes clubes como Vitória, Santos, São Paulo, Atlético Paranaense, Avaí, Flamengo e Criciúma. No exterior, Cleber atuou no Japão e nos espanhóis Atlético de Madrid e Mallorca, pelo qual chegou a marcar gols contra Barcelona e Real Madrid. Na Chapecoense desde junho de 2015, o veterano era o capitão do Furacão do Oeste.
Danilo Padilha
  • 31 anos
  • goleiro
  • 152 jogos pela Chapecoense
O paranaense Marcos Danilo Padilha nasceu em Cianorte. Ingressou no time por meio de um contrato de empréstimo em 2013 e fez sua estreia no dia 23 de novembro de 2013, na Série B do Campeonato Brasileiro — campanha que rendeu o vice-campeonato e o acesso à Série A pela primeira vez na história do clube. O contrato definitivo veio logo depois, em janeiro de 2014. Danilo se manteve como titular desde abril de 2014 e jogou a Copa Sul-Americana de 2015 e 2016, as duas primeiras competições internacionais da Chapecoense. Neste ano, o goleiro foi herói nas oitavas de final do torneio continental, defendendo quatro cobranças de pênaltis históricas para garantir a Chape na fase seguinte. Na semifinal, o ídolo do Verdão do Oeste garantiu um empate sem gols com o San Lorenzo e mais uma classificação. Na tragédia, Danilo chegou a ser resgatado com vida, mas não resistiu e morreu no hospital San Vicente Fundación.
Dener Assunção
  • 25 anos
  • lateral
  • 119 jogos pela Chapecoense
Dener Assunção Braz, lateral da Chapecoense de 25 anos, nasceu em Bagé, no Rio Grande do Sul. Dener foi jogador de times como Grêmio, Veranópolis e Coritiba - último clube antes de se transferir à Chapecoense, para a temporada de 2015.
Everton Kempes
  • 34 anos
  • atacante
  • 53 jogos pela Chapecoense
Everton Kempes nasceu em Carpina, em Pernambuco. Kempes estava na Chapecoense desde 2015, quando chegou do Joinville. Kempes foi jogador da Portuguesa, do Vitória, do Ceará e do América mineiro. No exterior, atuou nos times japoneses Cerezo Osaka e JEF United Ichihara Chiba.
Filipe Machado
  • 32 anos
  • zagueiro
  • 19 jogos pela Chapecoense
Filipe José Machado nasceu em Gravataí, no Rio Grande do Sul. Chegou à Chapecoense em 2016, após curta passagem pelo futebol iraniano, e estreou no Campeonato Brasileiro em 17 de julho contra o Figueirense. Filipe começou a carreira no Internacional e ainda passou pelo Fluminense antes de atuar no exterior. Desde 2011, Filipe jogou em países como Espanha, Bulgária, Azerbaijão e Emirados Árabes. Ao voltar ao Brasil, o zagueiro rodou por clubes de menor expressão e se destacou no Macaé, sendo consagrado como ídolo na disputa da Série C.
Gimenez
  • 21 anos
  • volante e lateral direito
  • 19 jogos pela Chapecoense
Guilherme Gimenez de Souza, volante e lateral direito, nasceu em Ribeirão Preto, em São Paulo. A carreira começou no Comercial, passou pelo Botafogo de Ribeirão Preto e chamou a atenção do Goiás, para onde foi disputar o Brasileiro de 2015. Em dezembro de 2015, Gimenez chegou à Chapecoense — era o jogador mais novo da delegação que viajou para a Colômbia.
José Paiva, o Gil
  • 26 anos
  • volante
  • 96 jogos pela Chapecoense
José Gildeixon Paiva nasceu em Santo Antônio, no Rio Grande do Norte. O volante atuava como titular na Chapecoense desde o início de 2015 e era um dos líderes da equipe, com destaque no meio-campo – vivia o auge de sua carreira. Em fevereiro deste ano, Gil marcou o gol da vitória da Chape sobre o Figueirense, quebrando uma sequência de nove jogos sem vencer o rival no clássico. O volante foi socorrido após o acidente na Colômbia, mas morreu a caminho do hospital, segundo familiares.
Josimar
  • 30 anos
  • volante
  • 50 jogos pela Chapecoense
Josimar Rosado da Silva Tavares nasceu em Pelotas, no Rio Grande do Sul. O volante chegou à Chapecoense, vindo da Ponte Preta, no final de 2015. Foi revelado pelo Internacional de Porto Alegre e também passou pelo Palmeiras, por empréstimo.
Lucas Gomes
  • 26 anos
  • atacante
  • 55 jogos pela Chapecoense
Lucas Gomes da Silva nasceu em Bragança, no Pará. Foi lançado ao futebol pelo Bragantino, em 2010, e jogou em times como Londrina, Sampaio Corrêa, Icasa e Fluminense — no qual permaneceu até o início deste ano, quando ingressou na Chapecoense.
Marcelo Augusto
  • 25 anos
  • zagueiro
  • 23 jogos pela Chapecoense
Marcelo Augusto Mathias da Silva nasceu em Juiz de Fora, em Minas Gerais. Começou a jogar futebol em 2011, nas categorias de base do Macaé – período no qual afirmou ter passado fome e quando desistiu temporariamente do esporte. Em 2012, foi contratado pelo Volta Redonda e depois pelo Flamengo, em 2014. Em janeiro de 2016, assinou contrato com a Chapecoense e estreou em março, durante o campeonato catarinense.
Mateus Caramelo
  • 22 anos
  • lateral
  • 15 jogos pela Chapecoense
Mateus Lucena dos Santos, conhecido como Caramelo, nasceu em Araçatuba, em São Paulo. O lateral iniciou a carreira no Mogi Mirim e se destacou no Campeonato Paulista de 2013, após bom desempenho contra o São Paulo. No mesmo ano, Caramelo foi contratado pelo São Paulo, mas não permaneceu no clube por muito tempo. Foi emprestado para o Atlético Goianiense e, depois, para a Chapecoense. Chegou a voltar para o São Paulo, mas retornou ao Verdão do Oeste por falta de espaço no elenco tricolor. Caramelo voltaria ao Morumbi ao final do empréstimo, em janeiro de 2017.
Matheus Biteco
  • 21 anos
  • volante
  • 24 jogos pela Chapecoense
Matheus Bitencourt da Silva, o Biteco,nasceu em Porto Alegre. Começou a carreira na Chapecoense em junho deste ano, vindo do Grêmio — onde se formou na categoria de base ao lado do irmão mais velho, Guilherme Biteco, que atualmente é meia-atacante no Ceará. A expectativa era que os dois jogassem juntos na Chapecoense em 2017.
Sérgio Manoel
  • 27 anos
  • volante
  • 26 jogos pela Chapecoense
Sérgio Manoel Barbosa nasceu em Xique-Xique, na Bahia. O volante tinha chegado neste ano à Chapecoense e comemorou em junho o fim do jejum de quatro anos sem marcar um gol, após se recuperar de lesões sérias no joelho. Seu último clube foi o Água Santa, no interior de São Paulo, e chegou a passar por Mirassol, Coritiba, Atlético Goianiense e Paysandu.
Tiaguinho
  • 22 anos
  • atacante
  • 23 jogos pela Chapecoense
Tiago da Rocha Vieira, o Tiaguinho, nasceu em Trajano de Moraes, no Rio de Janeiro. Tiago começou a carreira no XV de Piracicaba e passou pelo Metropolitano antes de assinar o contrato com a Chapecoense em junho deste ano. Na semana passada, Tiaguinho havia recebido a notícia de que seria pai pela primeira vez.
William Thiego
  • 30 anos
  • zagueiro
  • 84 jogos pela Chapecoense
William Thiego de Jesus nasceu em Aracaju. Após começar a carreira na terra natal, Thiego passou pelas categorias de base do Grêmio e logo foi emprestado ao clube japonês Kyoto Sanga. Defendeu Bahia, Ceará, Figueirense e Khazar Lankaran, do Azerbaijão. Sua estreia na Chapecoense foi no início de 2015, no Campeonato Catarinense. O defensor estava em negociação com o Santos.
Caio Júnior
  • 51 anos
  • técnico
  • 36 jogos pela Chapecoense
Luiz Carlos Saroli, o Caio Júnior, técnico do Chapecoense, nasceu em Cascavel, no Paraná. Era ex-jogador com atuação em clubes como Grêmio, Internacional e Paraná. Como técnico, Caio Júnior passou por grandes times como Botafogo, Grêmio e Bahia. No domingo, havia ganhado uma camisa comemorativa por se tornar o treinador que mais comandou o alviverde na Série A do Brasileirão: 26 vezes.

Imprensa
Victorino Chermont
  • 43 anos
  • repórter da Fox Sports
Victorino Chermont era repórter da Fox Sports. Trabalhou na Rádio Globo e na SporTV, além da Rede Bandeirantes de Televisão e da Record TV.
Rodrigo Gonçalves
  • 35 anos
  • repórter cinematográfico da Fox Sports
Rodrigo Santana Gonçalves era repórter cinematográfico da Fox Sports.
Mário Sérgio Pontes de Paiva
  • 66 anos
  • Comentarista
Ex-jogador de futebol, recebeu o apelido de Vesgo por sua capacidade de olhar para um lado e passar a bola para o outro. Começou sua carreira como jogador do Flamengo e teve passagens por Vitória, Fluminense, Botafogo, Rosário Central (Argentina), Internacional, São Paulo, Ponte Preta, Grêmio, Palmeiras, Botafogo-SP, Bellinzona (Suíça) e Bahia. Foi campeão do Mundial de Clubes pelo Grêmio em 1983 e chegou a ser convocado para a Seleção Brasileira. Aposentou-se aos 37 anos. Como técnico, dirigiu Vitória, Corinthians, São Paulo, Atlético-PR, São Caetano, Atlético-MG, Figueirense, Botafogo, Portuguesa, Internacional e Ceará. Como comentarista, trabalhou na TV Bandeirantes e no Fox Sports.
Deva Pascovicci
  • 51 anos
  • narrador da Fox Sports
Devair Paschoalon, conhecido como Deva Pascovicci, nasceu em Monte Aprazível, interior de São Paulo, e tinha 51 anos. Começou como locutor em São José do Rio Preto, passando depois por várias emissoras do interior antes de se tornar narrador esportivo em Jales, no início de 1986, cobrindo o basquete da cidade. Em 1993, começou a trabalhar na extinta TV Manchete, narrando basquete e futebol. Transferiu-se para o SporTV em 1995, onde atuou por dez anos antes de ser contratado pela CBN, onde ficou por mais uma década. Depois de alguns meses sem atuar como narrador esportivo, seguindo nos bastidores de emissoras afiliadas no interior paulista, Deva foi contratado em fevereiro de 2016 para ser um dos narradores da Fox Sports. O jornalista narrou a semifinal histórica da Copa Sul-Americana, no dia 2 de novembro, no estádio Arena Condá, em Chapecó, na qual o empate sem gols com o San Lorenzo levou a Chapecoense à final.
Laion Espíndola
  • 29 anos
  • repórter do GloboEsporte.com
Laion Espíndola era repórter do Globoesporte.com em Santa Catarina, como setorista da Chapecoense. Já havia trabalhado nos jornais O Sul, Correio do Povo e no Grupo RBS, em Porto Alegre. Foi professor no curso de jornalismo da Celer Faculdades, voltado para mídia on-line.
Djalma Neto
  • 35 anos
  • repórter cinematográfico da RBS TV
Djalma Araújo Neto, nascido em Florianópolis, era um dos repórteres cinematográficos mais experientes da RBS TV, onde trabalhou durante 13 anos.
Paulo Julio Clement
  • 51 anos
  • repórter da FOX Sports
Paulo Julio Clement nasceu em 1965 no Rio de Janeiro. O jornalista, além de ter atuado por dois anos como assessor do jogador Ronaldo Fenômeno, foi diretor de esportes do Sistema Globo de Rádio e do Jornal do Brasil, assim como repórter do jornal O Dia e do O Globo e editor do Marca Brasil. Ficou conhecido nacionalmente por seu trabalho no FOX Sports, onde atuava como repórter e comentarista havia mais de três anos.
Guilherme Marques
  • 28 anos
  • repórter da TV Globo
Guilherme Marques nasceu no Rio de Janeiro em 1988 e trabalhou no GloboEsporte.com, na TV Brasil e na TV Globo, onde atuou como produtor e repórter.
Ari de Araújo Jr.
  • 48 anos
  • cinegrafista da TV Globo
Começou como porteiro na TV Serra Dourada, afiliada do SBT em Goiás, e posteriormente se tornou cinegrafista. Teve passagens pela TV Anhanguera e pelas TV Globo de São Paulo e do Rio. Atualmente, estava no programa Planeta extremo.
Giovane Klein
  • 28 anos
  • repórter da TV RBS
Giovane Klein nasceu em Pelotas, no Rio Grande do Sul, e trabalhava na cobertura esportiva do oeste catarinense. Estava na TV RBS desde 2014. Anteriormente, trabalhou na TV Pampa, em Porto Alegre.
Guilherme Van der Laars
  • 43 anos
  • repórter da TV Globo
Guilherme Van der Laars tinha 43 anos, completados no último dia 20. Antes de se tornar produtor esportivo da TV Globo e trabalhar na equipe do Esporte espetacular, Guilherme Van der Laars passou pelas redações do Lance! e do jornal Extra. No Esporte espetacular foi um dos responsáveis pela série “A base”, que analisou os problemas na formação de jogadores do futebol brasileiro. Pai de dois filhos, esperava o terceiro.
Bruno Mauri
  • 25 anos
  • Técnico de externas da RBS
Bruno Mauri da Silva era técnico de externas da RBS, onde atuava desde 2012 e já trabalhara também como operador técnico.
Lilacio Pereira Junior
  • 48 anos
  • coordenador de transmissões externas da Fox Sports
Lilacio Pereira Junior era coordenador de transmissões externas da Fox Sports e era conhecido como Jumelo.
André Podiacki
  • 26 anos
  • Repórter do Diário Catarinense
André Podiacki nasceu em Florianópolis. Trabalhava no Diário Catarinense desde 2011.
Edson Luiz Ebeliny
  • -
  • Repórter e narrador da Rádio Super Condá
Edson Luiz Ebeliny, mais conhecido como Picolé, morava em Chapecó (SC) e era casado.
Douglas Dorneles
  • -
  • Repórter da Rádio Chapecó
Douglas Boelter Dorneles nasceu em Porto Alegre. Morava em Chapecó, trabalhou por quatro anos na assessoria de imprensa da Chapecoense e, atualmente, era setorista do time na Rádio Chapecó. Douglas iria se casar em março do ano que vem.
Gelson Galiotto
  • 36 anos
  • Narrador da rádio Super Condá
O narrador esportivo Gelson Galiotto nasceu em Rondinha, interior gaúcho. Era narrador esportivo na rádio Super Condá, de Santa Catarina, desde 2001, e iria cobrir sua primeira final internacional.
Renan Agnolin
  • 27 anos
  • repórter da Rádio Oeste Capital e Ric TV
Renan Agnolin era repórter da Rádio Oeste Capital em jogos da Chapecoense, além de âncora na RICTV, afiliada da TV Record em Chapecó. Nasceu em Erechim, no Rio Grande do Sul.
Fernando Doesse
  • -
  • narrador da rádio Chapecó
Fernando Schardong, conhecido como Fernando Doesse, era narrador da Rádio Chapecó. Fez a narração do jogo em que a Chapecoense derrotou o Junior Barranquilla em 3 a 0, garantindo a classificação para a semifinal da Sul-Americana.
Jacir Biavatti
  • -
  • Comentarista da RICTV e da Rádio Wang
Jacir Biavatti era comentarista da RICTV, afiliada da Record em Santa Catarina, há quatro meses e também trabalhava na Rádio Wang.

Comissão técnica | Diretoria | Convidados
Anderson Rodrigues Paixão Araújo
  • 37 anos
  • preparador físico
Anderson Rodrigues Paixão Araújo era preparador físico da Chapecoense desde 2011, quando a equipe jogava na Série C do Campeonato Brasileiro. Anderson Paixão fez parte da comissão técnica da Seleção Brasileira comandada por Tite, convidado por Dunga. O pai, Paulo Paixão, também preparador físico, já havia perdido um filho em 2002.
Eduardo de Castro Filho, o Duca
  • 39 anos
  • auxiliar técnico
Eduardo de Castro Filho nasceu em Cascavel, no Paraná, mesma cidade do técnico Caio Júnior. Quando garoto, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde jogou pela base do Flamengo, tornando-se profissional aos 17 anos, ao lado de Ronaldo Fenômeno. Chegou a atuar pela Seleção Sub-17, mas uma lesão na coluna interrompeu sua carreira como jogador. Antes de se tornar auxiliar técnico da Chapecoense, levado para a Arena Condá por Caio Júnior em junho, Duca já acumulara experiência como técnico do infantil do Atlético Paranaense e do juvenil do Criciúma.
Anderson Roberto Martins, o Buião
  • 45 anos
  • preparador de goleiros
Nascido em Pirapora, no norte de Minas Gerais, Anderson Roberto Martins, conhecido como Buião, tinha 45 anos e era responsável pelo treinamento de um dos maiores destaques da equipe catarinense: o goleiro Danilo. O preparador de goleiros tinha passagens como jogador por times pequenos do Distrito Federal, como Brasília e Sobradinho. Buião iniciou seus trabalhos na Chape há cinco anos, logo depois de concluir o curso de preparador de goleiros.
Luiz Felipe Grohs
  • 25 anos
  • analista de desempenho
Luiz Felipe Grohs, conhecido como Pipe Grohs, nasceu em Curitiba e era o analista de desempenho da Chapecoense, o "olheiro". Trabalhava havia quatro anos com o treinador Caio Júnior e passou por outros clubes como o Vitória.
Marcio Bestene Koury
  • 44 anos
  • médico
Marcio Bestene Koury nasceu em Rio Branco e foi para Chapecó trabalhar como médico da Chapecoense. Deixa mulher e duas filhas.
Rafael Correa Gobbato
  • 33 anos
  • fisioterapeuta
Rafael Correa Gobbato era natural de Porto Alegre e formado em fisioterapia pela PUC-RS. Se mudou para Santa Maria em 2012, onde começou a lecionar na Unifra, acumulando função também no Riograndense Futebol Clube. No meio de 2015, mudou-se para o estado vizinho para se tornar fisioterapeuta-chefe da Chapecoense.
Sérgio Luis Ferreira de Jesus
  • -
  • massagista
-
Gilberto Pace Thomas
  • 29 anos
  • assessor de imprensa
Gilberto Pace Thomas era assessor de imprensa da Chapecoense e ávido torcedor do clube desde os 3 anos de idade, segundo a família. Anteriormente, havia trabalhado como repórter na Rádio Chapecó.
Adriano Wulff Bitencourt
  • 45 anos
  • segurança
Nascido em Porto Alegre, Adriano Wulff Bitencourt já havia trabalhado no Juventude, no Caxias do Sul e no Criciúma antes de trabalhar na Chapecoense. Deixa cinco filhos.
Sandro Luiz Pallaoro
  • 50 anos
  • presidente da Chapecoense
Sandro Luiz Pallaoro, presidente da Chapecoense, tinha 49 anos e nasceu em Pato Branco, no Paraná. Foi eleito o Empresário do Ano em 2015 e recebeu o troféu Nelson Gallina, da Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC). Também era proprietário da Pallaoro Distribuidora de Frutas. Pallaoro se orgulhava ao mostrar os números da Chapecoense: o clube movimentava R$ 1,5 milhão por ano em 2009 e passou a uma receita anual de R$ 47 milhões em 2015.
Eduardo Luís Preuss, Cadu
  • 36 anos
  • gerente de futebol
Eduardo Luís Preuss nasceu em Venâncio Aires, no Rio Grande do Sul. Jogando como volante, começou sua carreira no Guarani, também tendo passagens pelo XV de Novembro e pelo Ulbra. Encerrou sua carreira na própria Chapecoense em 2010, devido a desgaste ósseo no quadril. No mesmo ano, assumiu a função de diretor na Chape e foi um dos responsáveis por montar a equipe que chegaria à primeira divisão do futebol brasileiro.
Delfim Pádua Peixoto Filho
  • 72 anos
  • presidente da Federação Catarinense de Futebol (FCF)
Delfim Pádua Peixoto Filho, natural de Itajaí, em Santa Catarina, tinha 72 anos e era presidente da Federação Catarinense de Futebol (FCF) há 27 anos. Foi advogado, vice-presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e ocupou uma cadeira da Assembleia Legislativa de Santa Catarina em 1971, pelo Movimento Democrático Brasileiro (MDB).
Luiz Cezar Martins Cunha
  • -
  • comissão técnica
Fisiologista da Chapecoense, era especializado em fisiologia do exercício pela Escola Paulista de Medicina. Também já tinha atuado no Grêmio e na Seleção Brasileira de futebol de salão.
Mauro Luiz Stumpf
  • -
  • vice-presidente de futebol
Nascido em União da Vitória, no Paraná, é casado e deixa um filho
Anderson Donizette, cocada
  • 37 anos
  • roupeiro
Estava na Chapecoense havia seis anos. Era de Lençóis Paulista, no interior de São Paulo
Cleberson Fernando da Silva
  • 39 anos
  • assessor de imprensa
Cleberson Fernando da Silva era assessor de imprensa da Chapecoense. Formou-se na Universidade Comunitária da Região de Chapecó (Unochapecó) em 2004.
Emerson Fabio Di Domenico
  • -
  • supervisor de futebol
Supervisor futebol da Chapecoense, Chinho Di Domenico, como era conhecido, nasceu no dia 13 de maio de 1973 – três dias depois da criação do clube. Orgulhava-se de dizer que sua história se misturava à história do time. Ainda na infância, morou próximo ao estádio da Chapecoense – seu pai era o responsável pela lanchonete da arena. Queria ser jogador profissional, mas a baixa estatura o atrapalhou – media 1,63. Depois de estudar educação física, assumiu como preparador físico da Chapecoense entre 2003 e 2005. Voltou ao time em 2007, como supervisor: cargo que ocupava quando embarcou para Medellín na noite de segunda-feira (28). Emerson deixa mulher e dois filhos.
Daví Barela Dávi
  • -
  • empresário
Daví Barela Dávi era formado em direito e empresário. Daví era um dos mais antigos patrocinadores da Chapecoense e, em 2012, chegou a ser cotado para ser presidente do clube.
Decio Sebastião Burtet Filho
  • 41 anos
  • diretor administrativo
Decio Sebastião Burtet Filho era um dos dirigentes da Chapecoense. Nascido em Tupanciretã, no Rio Grande do Sul, Decio morava em Santa Catarina havia 22 anos. Ajudou a realizar o planejamento da equipe desde quando o alviverde estava na Série D.
Nilson Folle Junior
  • 29 anos
  • diretor financeiro
Nilson Folle Junior era diretor financeiro da Chapecoense. Natural de Xaxim, também em Santa Catarina, mudou-se para Chapecó e estudou na Universidade Comunitária da Região de Chapecó (Unochapecó).
Jandir Bordignon
  • -
  • vice-presidente de marketing e patrimônio
Nascido em Seara (SC), deixa uma filha
Edir Félix De Marco
  • -
  • presidente do conselho consultivo da Chapecoense
Era casado e deixa uma filha
Mauro Dal Bello
  • -
  • membro da diretoria
Mauro Dal Bello era membro da diretoria da Chapecoense.
Ricardo Philippi Porto
  • 46 anos
  • secretário do conselho deliberativo
Ricardo Philippi Porto, advogado, era secretário do Conselho Deliberativo da Chapecoense

Tripulação
Miguel Quiroga
  • 36 anos
  • piloto
O boliviano Miguel Quiroga era piloto. Segundo a família, Quiroga era apaixonado pela aviação e percebeu falhas elétricas graves, que reportou à torre de controle do aeroporto. Ele morava com a família em Epitaciolândia, no interior do Acre.
Ovar Goytia
  • -
  • copiloto
Ovar Goytia era piloto e compunha a tripulação ao lado de Miguel Quiroga e Sisy Arias.
Sisy Arias
  • 28 anos
  • copiloto
Sisy Arias era filha caçula do jornalista boliviano Jorge Arias, proprietário da rede de televisão Gigavisión. Sisy Gabriela Arias Paravicini tinha 28 anos e se licenciou como piloto em Miami.
Romel Vacaflores
  • -
  • asssitente de voo
Romel Vacaflores era boliviano e trabalhava como assistente de voo
Alex Quispe
  • 39 anos
  • auxiliar de voo
Alex Richard Quispe Garcia era auxiliar de voo da empresa aérea LaMia, tinha 39 anos e havia se formado como auxiliar em La Paz, capital boliviana.
Gustavo Encina
  • representante da companhia aérea Lamia
O paraguaio Gustavo Encina era representante da companhia aérea boliviana LaMia, que estava encarregada de prestar serviço durante o voo. Deixou três filhos.
Ángel Lugo
  • 29 anos
  • técnico da aeronave
Ángel Lugo foi identificado pela imprensa da Venezuela como um engenheiro de voo venezuelano

os sobreviventes
Alan Ruschel
  • 27 anos
  • lateral
  • 11 jogos pela Chapecoense
Alan Ruschel nasceu em Nova Hartz (RS) e é lateral esquerdo da Chapecoense. Começou sua carreira pelo Juventude-RS e passou por clubes como Pelotas, Luverdense, Internacional e Atlético-PR. Jogou pela Chapecoense primeiro em 2013, com seis jogos e um gol marcado, e depois em 2016, emprestado pelo Internacional, com cinco jogos e nenhum gol marcado.
Edwin Tumiri
  • 25 anos
  • técnico aeronáutico
Trabalha como técnico aeronáutico e é natural de Cochabamba, na Bolívia. Faz parte de uma banda de música cristã segundo o jornal Los Tiempos.
Jackson Follmann
  • 24 anos
  • goleiro
  • 1 jogo pela Chapecoense
Jackson Ragnar Follmann, gaúcho de Alecrim, nasceu em 14 de março de 1992. Atual goleiro reserva da Chape, o jovem arqueiro de 24 anos começou sua carreira pelo Juventude, de Caxias do Sul, em 2011, tendo defendido também o Grêmio e o Linense. Antes de ser vendido ao Chapecoense em maio de 2016, Follmann foi o capitão e goleiro titular do URT, time de Patos de Minas, interior mineiro, que conquistou o título de Campeão Mineiro do Interior. Goleiro reserva da Chape, antes do acidente que o fez ter a perna amputada, Follmann tinha a ambição de se tornar titular com a possível venda de Danilo, um dos destaques do time e que acabou por morrer no acidente na Colômbia.
Hélio Neto
  • 31 anos
  • zagueiro
  • 51 jogos pela Chapecoense
Hélio Hermito Zampier Neto nasceu no Rio de Janeiro em 16 de agosto de 1985. O zagueiro começou atuando pelo Vasco em 2005, e então passou pelo Paraná, Francisco Beltrão, Cianorte e Guarani, que o emprestou pela temporada de 2010 ao Metropolitano. Quando voltou ao Guarani, Neto foi um dos destaques do time vice-campeão paulista de 2012, chamando a atenção de grandes clubes. Em novembro de 2012 foi anunciado como o novo reforço do Santos pelas duas temporadas seguintes, mas não se firmou no clube por lesões e alta concorrência na posição. No fim de 2014, Neto optou por não renovar com o time da Vila e em fevereiro de 2015 foi anunciado na Chapecoense. Com a Chape, Neto conquistou o Campeonato Catarinense de 2016 e chegou à final da Sul-Americana do mesmo ano, recebendo o título de maneira honrosa. Ele foi o último sobrevivente a ser retirado dos destroços do avião
Rafael Henzel
  • 43 anos
  • repórter da rádio Oeste Capital
Rafael Henzel Valmorbida, de 43 anos, é repórter da rádio Oeste Capital, de Chapecó, e começou sua carreira na rádio aos 17 anos. Após sair de Chapecó, trabalhou também na RBS TV, em Santa Catarina, e na TV Rio Sul, de Volta Redonda (RJ). Há seis anos, voltou para Chapecó, onde é âncora dos programas Som e café news e Golaço, e sempre acompanhou a Chapecoense nas viagens do time. O jornalista teria fraturado uma perna e uma costela, mas está com o quadro estável.
Ximena Suárez Otterburg
  • 27 anos
  • comissária de bordo
Comissária de bordo, é natural de Santa Cruz de La Sierra.